Ao Vivo

Litoral do Paraná tem obra atrasada na orla

04/12/2017 às 08:42.
Obra na calçada de Praia de Leste se arrasta. Foto: Átila Alberti

A 20 dias do início do verão, a Tribuna desceu a Serra do Mar para conferir como está a infraestrutura na orla dos três municípios com praia do litoral do Paraná. Afinal, quem pretende relaxar e curtir as férias – ou pelo menos as folgas de Natal e Ano Novo – quer saber se vai dar para caminhar tranquilamente à beira-mar e acessar a faixa de areia ou se, porventura, terá alguma obra em andamento obstruindo a passagem. Consultamos também as prefeituras para saber que tipo de melhorias já foram realizadas nestes trechos para atender os veranistas e se há previsão de mais benfeitorias a curto prazo.

Pontal do Paraná

Quem vai viajar até Pontal do Paraná espera finalmente encontrar a obra da orla do balneário Praia de Leste concluída. Mas a reforma da calçada está atrasada, já que começou em junho de 2016 e deveria terminar três meses depois. O atraso atrapalhou muito a vida de quem passou a temporada de 2016/2017 na cidade, segundo os próprios moradores da região, mas agora parece estar “quase pronta”.

“A gente transita pelo Centro e a vê que estas obras não terminam nunca. Eles estão mexendo no calçadão, mas muita coisa não foi finalizada. É ainda pior nos dias de chuva, onde fica tudo sujo, sem limpeza e parece que a nossa praia está abandonada. Eu caminho com a minha filha e vemos muita dificuldade. Na hora de estacionar o carro também, não está acabado e fica complicado. Chove e ainda alaga. Fica cheio de poças”, relata a moradora Marilene Gomes, 46 anos.

A obra não é muito extensa, abrange somente uma pequena parte da orla, mas teve um histórico de novas licitações e muito atraso, de acordo com informações encontradas no edital disponível no site da prefeitura. Segundo o documento, a primeira licitação aconteceu em maio do ano passado e, após a escolha da empresa, em junho de 2016, a obra deveria ter sido entregue três meses depois, mas não aconteceu porque “a contratada não cumpriu o contrato”, de acordo com uma nota divulgada pela gestão anterior da prefeitura.

Ao invés da inauguração, houve uma nova licitação, de quase R$ 400 mil, e outra empresa foi escolhida em dezembro do mesmo ano. Somente em janeiro de 2017, a obra foi retomada pela nova gestão. Até agora, quase um ano depois, a construção ainda não foi finalizada. Somando o atraso da empresa anterior com essa, são 14 meses de espera “extra”. Além disso, em outubro deste ano houve uma terceira licitação para “implantação de mobiliário urbano”, que custou R$ 195 mil.

A Tribuna procurou a Prefeitura de Pontal do Paraná desde quinta-feira passada (23/11), mas não houve resposta sobre a situação da obra na orla. Os questionamentos feitos pela reportagem, a respeito da data de entrega e extensão das obras, não constam do edital.

Em Matinhos, foram feitas obras emergenciais após ressaca de 2016. Foto: Átila Alberti

Em Matinhos, foram feitas obras emergenciais após ressaca de 2016. Foto: Átila Alberti

Matinhos

Já em Matinhos, a situação é um pouco diferente. A cidade passou por uma forte ressaca no ano passado e por conta da destruição que causou, o governo do Estado disponibilizou na época uma verba para apoio imediato. O valor de R$ 803 mil foi utilizado para a reestruturação de quatro quilômetros de orla parcialmente destruídos, entre os balneários Praia Brava e Praia Grande.

Mas o problema foi solucionado de forma “provisória” e em breve uma obra de paisagismo deve ser feita. De acordo com a prefeitura do município, a previsão de início é para março de 2018.
Além dessa obra, a revitalização da orla do Balneário Caiobá foi entregue no ano passado e um trecho de três quilômetros, entre a Avenida Augusto Blitzkow e o canal da Avenida Paraná, foi reformado com o investimento de R$ 7,2 milhões.

A intervenção foi financiada pelo Sistema de Financiamento aos Municípios (SFM), gerenciado pela Fomento Paraná, instituição financeira de desenvolvimento do governo do Estado, em parceria com a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Urbano. A avenida também recebeu nova iluminação em LED, novas calçadas, sanitários, pistas para caminhada, ciclovias, pontos de ônibus, faixas de estacionamento para veículos, paisagismo e sinalização.

Guaratuba promete várias melhorias na beira-mar para 2018. Foto: Átila Alberti

Prefeitura de Guaratuba promete várias melhorias na beira-mar para 2018. Foto: Átila Alberti

Guaratuba

Em Guaratuba, também houve uma forte ressaca no ano passado e a reforma foi realizada com verba de R$ 631 mil, repassada pelo governo estadual, assim como em Matinhos. Além disso, a orla da Avenida Atlântica há quase quatros anos está pronta para os turistas. A revitalização, feita em 2014, trouxe melhorias como calçadas feitas com blocos de concreto, drenagem, ciclovia, paisagismo e urbanismo, sinalização de trânsito, construção de rampas de acessibilidade e novo muro para contenção da avenida. A Avenida Brejatuba também foi reformada com recursos do Estado no mesmo ano.

A administração municipal aponta que em 2017 foi feita manutenção da orla, incluindo execução de muro de contenção em gabião (pedras amarradas) na Praia das Caieiras para proteção contra a ação das marés, construção de novas rampas de acessibilidade, pintura das rampas e pintura dos bancos.

A novidade é que em 2018, haverá algumas melhorias, como pintura de banheiros, marcos, chuveiros, pintura dos meios-fios, faixas de pedestres e outras mudanças. Além disso, cinco novas rampas de acessibilidade serão construídas – as três existentes já foram reformadas. As estruturas permitem que qualquer pessoa, principalmente cadeirantes ou pessoas com mobilidade reduzida, possa ter acesso à praia na parte firme da areia. Com essa construção, serão oito rampas da Praia das Pedras até o Morro do Cristo (Brejatuba), facilitando o acesso às praias.

Chuveiros e rampas de acessibilidade deverão ser instalados em Guaratuba. Foto: Átila Alberti

Chuveiros e rampas de acessibilidade deverão ser instalados em Guaratuba. Foto: Átila Alberti

Via: Tribuna do Paraná