Ao Vivo

Latino se emociona ao pedir ajuda para achar macaco de estimação

09/07/2017 às 15:49.

Na noite deste sábado (8), Latino fez um vídeo no Instagram pedindo ajuda para encontrar Twelve’s, seu macaco de estimação. O bichinho, que é domesticado, desapareceu pela região do Bosque da Barra, no Rio de Janeiro; mas de acordo com o Estado de S. Paulo, já foi encontrado com a ajuda do som da voz de sua cuidadora, que foi amplificado com um megafone. Latino ainda não voltou a se manifestar nas redes.

 

Meu filho que não fala, mas entende tudo. 🤣🤣🤣 @macacotwelves 🙈

A post shared by LATINO (@latino) on

 

O cantor se emocionou bastante no seu vídeo. Na legenda, ele explicou que o macaquinho, de que cuida há quatro anos, costumava passear e voltar logo. A preocupação de Latino era de que o animal se perdesse na floresta próxima ao seu condomínio no Rio.

Latino é bem apegado a Twelve’s, para quem até mesmo criou uma conta no Instagram. “Eu faço um apelo a quem tenha visto ele que faça o contato com a gente”, disse o cantor no vídeo em seu perfil pessoal, chorando. “Quem tem bicho de estimação sabe da dor [pela qual] eu estou passando. É meu filho. Ajude-me a recuperá-lo”. Confira abaixo:

 

Nos comentários da publicação, muitas pessoas apoiaram o artista, e algumas até deram dicas para tentar atraí-lo de volta para sua casa. Outras, por sua vez, criticaram Latino por ter um macaco como um animal de estimação, defendendo que o lugar do bicho é na natureza.

Em 2016, a apresentadora Luisa Mell, que é conhecida por atuar em defesa dos animais, escreveu um texto em parceria com o biólogo Franka Alarconem repudiando a atitude do cantor em ter o macaco como pet. “Todos os anos 38 milhões de animais são retirados das nossas florestas para virarem pets. Para alimentar o egoísmo e egocentrismo humano. Lembrando que são estes animais os grandes agricultores das florestas”, aponta o texto, publicado no Instagram. “Todos os anos 38 milhões de animais são retirados das nossas florestas para virarem pets. Para alimentar o egoísmo e egocentrismo humano. Lembrando que são estes animais os grandes agricultores das florestas”.

 

Via: Catraca livre