Ao Vivo

Justiça italiana absolve acusados de estupro por vítima ser ‘feia’

12/03/2019 às 17:26.

Uma decisão que absolveu dois jovens acusados de agressão sexual contra uma peruana de 22 anos sob a justificativa de que a vítima era “muito masculina e pouco atraente” foi anulada na sexta-feira (8) na Itália.

A justificativa para a sentença, assinada por três juízas da cidade de Ancona em 2017, só ficou conhecida depois que o tribunal de apelação mais importante da Itália descartou o veredito do tribunal de primeira instância e ordenou um novo julgamento, de acordo com o “The Guardian”.

Tribunal de Apelação da cidade de Ancona, na Itália — Foto: Reprodução/Google Maps

No fim da tarde desta segunda-feira (11), quase 200 mulheres protestaram em frente ao Tribunal de Apelação de onde saiu a sentença de absolvição.

O caso aconteceu em 2015. A garota chegou a um hospital acompanhada da mãe, dizendo que havia sido violentada alguns dias antes por um colega, enquanto outro jovem vigiava. O grupo saiu da aula e decidiu tomar uma cerveja e, segundo a vítima, foi quando tudo aconteceu. Os médicos encontraram lesões compatíveis com agressões sexuais, além de uma grande quantidade de calmante no corpo da jovem, segundo o jornal italiano La Repubblica.

Após investigações, o primeiro julgamento declarou os dois jovens culpados, em julho de 2016. Mas, em novembro de 2017 o Tribunal de Apelações revogou a decisão e os absolveu, dizendo que a garota tinha um aspecto muito masculino, era feia e que nada nela atraía os suspeitos.

Um dos argumentos usados para justificar a anulação foi que um dos acusados registrou a vítima em seu telefone com o nome de “viking”, o que comprovaria que ele não a achava feminina e que, portanto, não gostava dela. Como prova para sustentar o argumento, as juízas usaram uma foto da jovem.

Para o Procurador-Geral de Ancona, Sergio Sottani, que impugnou a sentença, é preciso evitar que “as palavras utilizadas possam constituir uma forma a mais de violência contra a mulher”.

Via G1