Ao Vivo

Jovem autista que estudou em casa é aprovado em medicina na UFG

12/05/2021 às 08:28.

Jonathan superou as dificuldades de ser autista e foi aprovado em medicina na UFG. – Foto: arquivo pessoal

A determinação do Jonathan é incrível. Autista, ele terminou o Ensino Médio em escola pública em 2012 e não conseguiu entrar em uma universidade porque precisou trabalhar para ajudar nas despesas da família.

Durante todos esses anos, o sonho de ser médico sempre existiu para o jovem. Persistente, ele passou a estudar em casa, quando chegava do trabalho.

“Enquanto eu trabalhava em período integral, sempre procurava estudar e revisar conteúdos no meu horário de almoço e estudava por conta própria durante as noites”, disse Jonathan em entrevista ao Só Notícia Boa.about:blank

Hoje o brasileiro de 25 anos comemora a aprovação em Medicina na Universidade Federal de Goiás (UFMG). Agora, Jonathan diz que quer atuar com pacientes que têm autismo e poder gerar um pouco mais de acessibilidade para eles.

Ele também quer inspirar outros autistas a não desistirem dos sonhos “quase impossíveis”, que possam ter ao longo da vida.

Dificuldades

A caminhada de Jonathan até a faculdade não foi nada fácil. Com a mãe trabalhando de operadora de máquinas em uma metalúrgica e sem condições financeiras de manter a casa sozinha, o rapaz foi trabalhar quando ainda estava no último no de escola.

Demorou para ele saber que tinha Síndrome de Asperger, um tipo mais brando de autismo. O diagnóstico veio em 2017 e, para ele, foi uma descoberta muito esclarecedora, que o fez se conhecer melhor.

“Por conta do diagnóstico de Síndrome de Asperger, estou ainda mais convicto para, inclusive, atuar na pesquisa que envolve o autismo, área tão pouco explorada clinicamente’, conta o estudante.

Futuro

E ele sonha sonha alto! O estudante contou sobre os planos para a profissão: “Sempre buscar iniciações baseadas no transtorno do espectro autista, tentar dar andamento a uma recente pesquisa da USP sobre os astrócitos no cérebro de um autista”, planeja o jovem, se referindo a este estudo.

Além do bem que quer fazer para outros autistas, Jonathan não esquece a mãe, que foi a base mais forte que ele teve por toda a vida.

Nós torcemos para que você voe muito alto Jonathan! Te desejamos muito sucesso!

Jonathan. - Foto: arquivo pessoal
Jonathan. – Foto: arquivo pessoal

Por Monique de Carvalho, da redação do Só Notícia Boa

Via: Só Notícia Boa