João Gordo lembra cirurgia e explica forma de ver a comida

23/10/2018 às 16:03. Comente esta notícia!

João Gordo bateu um papo com Gabriela Pugliesi e abriu o jogo sobre alguns detalhes de sua vida. O apresentador começou falando sobre alimentação.

“Sou vegetariano há 14 anos. Vegano mesmo, eu tô tentando ser faz uns dois anos, que estou sendo bem xiita mesmo”, contou. “Eu pesava 190 kg e tava c*gando. Fiz operação de estômago e a carne ficou indigesta para mim. Fiquei vegetariano sem a noção da exploração animal”, explicou.

João disse que só depois a ideia da exploração animal se fixou na sua cabeça. “Muita gente se torna vegano por saúde, sem pensar na exploração, mas tem que pensar primeiro nos animais. Ficar saudável. Não que eu seja saudável, eu sou obeso. Mas se pego meus exames de obeso, hoje, é bruta a diferença. Meu colesterol é normal, minha diabetes é controlada. Se eu continuasse comendo bacon, embutidos, acho que já tinha batido as botas”, opinou.

João Gordo (Foto: Instagram/Reprodução)

O apresentador disse que costuma comer carboidradatos. “Tudo o que engorda para caramba. Fiz uma dieta ano passado e emagreci 20 kg. Mas nas turnês não consigo, tomo cerveja, fico com uma baita barriga”, explicou.

Pugliesi perguntou como surgiu o apelido João Gordo. “Eu sempre fui gordo, desde criança. Ia fazer o que? Morrer? Eu era o rei do bullying, fiz muito com as pessoas. Eu adiatava o bullying que ia sofrer. Eu era um gordinho zoado antes de conhecer o rock, com 13, 12 anos. Isso me deu uma identidade forte”, relembrou.

“Eu sempre fui o gordo do Ratos de Porão. João Gordo me colocaram este nome. Quando eu entrei na TV, começaram a me chamar de João Gordo”, explicou.

O músico ainda falou da época da MTV. “Eu erra arredio à fama e ao dinheiro. Fiz uma propaganda ou outra, porque não sou trouxa, mas eu não gostava de ganhar dinheiro. Até me arrependo. Não me sentia à vontande ganhando dinheiro. Era muita cobrança. E olha que nem tinha rede social”, afirmou.

Pugli perguntou também se ele falava para os filhos da sua relação com as drogas. “Falo. Eu tenho que dar bom exemplo. Um dos bons exemplos foi parar de beber, parar de fumar maconha, cigarro. Para não ter motivo de dizer, se meu pai fuma. Eu parei. Cerveja quando tem show. Maconha não fumo mais e cigarro raramente”, finalizou.