A babá Michele Elbertson, da Filadélfia, na Pensilvânia, pesava 427 libras, quase 194 quilos, aos 23 anos, quando os médicos lhe disseram que se ela não mudasse seus hábitos ela provavelmente morreria em 4 anos. Na época, ela consumia refeições que alimentariam o equivalente a uma família de quatro pessoas, quebrou o pé em três lugares devido ao peso e tinha problemas para respirar após caminhadas curtas.

Elbertson diz em entrevista ao Daily Mail, que sempre esteve acima do peso, mas acredita que o bullying que sofria por isso desde a infância a levou a aumentar drasticamente o consumo de comida.

Créditos: redação: Daily Mail

Michele mudou seus hábitos para contrariar o diagnóstico que lhe dava mais 4 anos de vida

“Quanto maior eu me tornava, mais eu era intimidada e quanto mais eu era ridicularizada, mais comia. Foi um ciclo vicioso” conta.

Durante uma consulta em 2010, quando ela contou ao médico sobre sua dieta baseada em fast-food, ela resolveu mudar. Na época ela tinha um índice de massa corporal de 63,1,o nível mais elevado classificado de obesidade. O especialista lhe disse que ela teria cerca de 4 anos de vida se seguisse assim.

“Eu sabia que eu era obesa mórbida, mas foi no momento em que percebi que precisava fazer alguma coisa, não eram apenas as pessoas se divertindo mais comigo, era a vida ou a morte”, disse em entrevista ao Daily Mail.

Michele passou por uma cirurgia para colocar uma banda gástrica que ajudou a restringir a ingestão de alimentos, além de preparar as refeições em casa e fazer exercícios.

Ela diz que ela se tornou “viciada” na pratica de atividades físicas e, cada vez que atingia uma meta, determinava outra maior.

Em 2013 ela fez uma abdominoplastia para remover a pele extra que sobrou após a perda de peso, pois isso a atrapalhava nos exercícios e também causou alguns problemas cutâneos e infecções.

Hoje, aos 30 anos, com 87,5 quilos, Michele já participou de 50 meias maratonas, 30 maratonas completas, duas corridas de 50 milhas e uma de 100 milhas. Além de estar treinando para sua primeira competição de musculação.

“Estou determinada a me tornar uma competidora para mostrar o que eu consegui com o meu corpo quando for concorrer daqui alguns meses”, afirma.

Obesidade: sintomas, tratamentos e causas

A obesidade é o acúmulo de gordura no corpo causado quase sempre por um consumo excessivo de calorias na alimentação, superior ao valor usada pelo organismo para sua manutenção e realização das atividades do dia a dia.

O excesso de gordura pode levar ao desenvolvimento de diabetes tipo 2, doenças do coração, pressão alta, artrite, apneia e derrame.

Para determinar se uma pessoa está obesa é usado o cálculo do Índice de Massa Corporal (IMC), que é feito dividindo o peso (em kg) pelo quadrado da altura (em metros).

Cálculo do IMC:
IMC=peso (kg) / altura (m) x altura (m)
Exemplo: João tem 83 kg e sua altura é 1,75 m
Altura x altura = 1,75 x 1,75 = 3.0625
IMC = 83 divididos por 3,0625 = 27,10
O resultado de 27,10 de IMC indica que João está acima do peso desejado (sobrepeso).

Classificação do IMC:
Menor que 18,5 Abaixo do peso
Entre 18,5 e 24,9 – Peso normal
Entre 25 e 29,9 – Sobrepeso (acima do peso desejado)
Igual ou acima de 30 – Obesidade.

Como a obesidade é provocada por uma ingestão de energia que supera o gasto do organismo, a forma mais simples de tratamento é a adoção de um estilo de vida mais saudável, com menor ingestão de calorias e aumento das atividades físicas.

É fundamental contar com a ajuda de médica e de profissionais de educação física antes de começar dietas e exercícios. O acompanhamento também é muito importante.

Via: Catraca Livre