Ao Vivo

Iniciativas ajudam no combate à fome no Paraná na pandemia; veja como doar

26/03/2021 às 08:17.

Projetos de combate à fome precisam de doações para atender famílias durante a pandemia. Foto: Divulgação/SEED

A pandemia do coronavírus tem sido implacável em todos os segmentos da sociedade, mas, para quem tem fome, a crise é ainda mais devastadora. No Paraná, ações individuais e coletivas vêm sendo desenvolvidas para atender famílias que não conseguem mais levar o sustento para a mesa. Veja como contribuir no fim desta reportagem.

Várias campanhas de ajuda humanitária estão em andamento pelo estado com o propósito de arrecadar alimentos e itens de higiene e limpeza para que as famílias menos favorecidas possam atravessar esse momento crítico com mais dignidade. A Superintendência Geral de Ação Solidária, que é ligada à Secretaria Estadual da Justiça, Família e Trabalho, por exemplo, lançou a segunda edição do programa “Cesta Solidária” no último dia 23 de março. A campanha pretende arrecadar alimentos que serão enviados para famílias em situação de vulnerabilidade social nos municípios paranaenses. “Agora é o momento de unir esforços nessa grande corrente de solidariedade e empatia com o próximo”, afirmou Luciana Saito Massa, primeira-dama do Paraná e presidente do Conselho de Ação Solidária do estado.

Em 2020, no início da pandemia, o programa conseguiu arrecadar 150 toneladas de alimentos, que foram distribuídos em todas as regiões do Paraná. Quem quiser fazer a doação pode entregar os produtos nos 131 pontos distribuídos nas unidades do Corpo de Bombeiros nas cidades do interior e na capital.

Em Curitiba, a Fundação de Ação Social, a FAS é o órgão responsável pela política de ação social desenvolvida na capital e, depois da chegada da pandemia, passou a atuar em novas frentes. Desde o ano passado, a situação emergencial e a urgência em atender as famílias que ficaram sem renda e, consequentemente, sem ter o que comer, exigiu que o trabalho fosse ampliado. De acordo com Fabiano Vilaruel, presidente da FAS, a instituição passou a trabalhar com a arrecadação e distribuição de cestas básicas doadas por pessoas físicas, pequenas empresas e pequenas redes de varejo dispostas a ajudar o próximo nesse momento de dificuldade.

“Aprovamos a medida junto ao Conselho Municipal de Ação Social e, com segurança jurídica, passamos a arrecadar e distribuir cestas básicas. Nós já conseguimos atender 70 mil famílias desde o início da pandemia. Mantemos também uma parceria com a Secretaria de Segurança Alimentar e, quando identificamos famílias que estão passando por dificuldades, nós conseguimos fornecer créditos para utilização nos Armazéns da Família”, conta Fabiano. “Como nós temos o cadastro e conhecemos a realidade de cada comunidade de Curitiba, nós conseguimos distribuir esse alimento de forma equilibrada. Um bom alerta para quem está disposto a doar é que nos procure. Nós precisamos das doações e conseguimos evitar que comunidades mais próximas ao centro recebam muita doação em detrimento de outras. Isso acaba acontecendo com as pessoas que saem para distribuir doações de forma aleatória”, alerta.

Programa Mesa Solidária garante refeição fresca e quentinha

A prefeitura de Curitiba também mantém o programa Mesa Solidária. São três refeitórios distribuídos pela cidade que, em parceria com a iniciativa privada, servem refeições em espaço adequado para alimentação de famílias que passam por dificuldades neste momento. “Engana-se quem pensa que só pessoas em situação de rua se alimentam nos refeitórios do Mesa Solidária. Nós também atendemos famílias que estão sem renda e vivem nas proximidades dos restaurantes. Muitas pessoas perderam a renda e, nesse momento, é uma forma de garantir ao menos uma boa refeição no dia”, conclui Fabiano.

O Ministério Público do Trabalho (MPT-PR) também atua na promoção de uma ação para servir refeições frescas para a população em situação de vulnerabilidade. Todas as segundas, terças, quintas e sextas-feira são entregues entre 300 e 350 marmitas na hora do almoço nas Praças Rui Barbosa e Tiradentes. A ação é uma parceria com militantes do Movimento Nacional da População de Rua (MNPR). Os voluntários preparam a comida e embalam os alimentos num espaço cedido pelo Sindicato dos Trabalhadores nos Correios do Paraná. O projeto começou em março de 2020, como reação à pandemia, neste momento precisa de doações para continuar. A ideia é arrecadar arroz ou dinheiro para comprar os alimentos que serão preparados e distribuídos. A campanha “Amor&Arroz” foi criada pelo MPT-PR para incentivar as doações para a ação.

Quer ajudar quem tem fome? Confira onde doar:

Projeto Cesta Solidária
Unidades do Corpo de Bombeiros em todos os municípios do Paraná
Estacionamento do Palácio Iguaçu – Centro Cívico – Curitiba

Fundação de Ação Social
Rua Eduardo Sprada nº 4.520, Campo Comprido
Núcleos da FAS das Ruas da Cidadania

Projeto Amor&Arroz
Rua Engenheiros Rebouças, 1595

Ou através de transferência bancária

INRua – Instituto Nacional de Direitos Humanos da População de Rua
CNPJ: 29.931.316/0001-89
Caixa Econômica Federal
Agência: 0377
Operação: 003
Conta Corrente: 5037-2

Via: Tribuna Do Paraná