Ao Vivo

Humanos gostam mais de cachorros do que de gente, aponta estudo científico

20/09/2018 às 08:32.

Pelo jeito existem algumas universidades que possuem uma imensa verba para gastar com pesquisas inúteis. Eis um bom exemplo aqui: Um estudo realizado pela Northeastern Universtity, em Boston, nos EUA, constatou que humanos gostam mais de cachorros do que de pessoas. Olha, não precisava de um estudo para isso.

Foto: Pixabay

O estudo envolveu 240 homens e mulheres entre 18 e 25. Eles foram convidados a ler quatro notícias falsas que contavam uma mesma história, porém protagonizadas por diferentes personagens: um adulto na faixa dos 30, um bebê de um ano, um cãozinho recém-nascido e um cachorro mais velho, de seis anos de idade.

Nas notícias, mostradas separadamente aos participantes do estudo, os personagens acima foram vítimas de violência, feridos gravemente com um bastão de beisebol por uma pessoa que permanecia sem ser identificada.

“Chegando na cena alguns minutos depois do ataque, um policial descobriu que a vítima tinha uma perna quebrada, múltiplas lacerações e estava inconsciente“, concluía a notícia.
Os participantes foram então solicitados a indicar seu grau de empatia para cada uma das vítimas.

“Os entrevistados se mostraram significativamente menos angustiados quando adultos humanos foram vítimas, em comparação a bebês humanos e cachorros“, disseram os pesquisadores.

Os pesquisadores descobriram que a vulnerabilidade das vítimas, era um fator significativo. A explicação é simples: a violência parece menos justificável quando a vítima é um ser indefeso, como um bebê humano ou cachorro.

Eles continuaram: ‘As pessoas não veem cachorros como animais, mas sim como bebês com pelos, como membros da família’.