Ao Vivo

Hospital Pequeno Príncipe suspende pronto atendimento pelo SUS por tempo indeterminado

08/05/2019 às 16:39.

 

O Hospital Pequeno Príncipe, referência no atendimento infantil em Curitiba suspendeu na noite de terça-feira (8) o serviço de pronto atendimento pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Essa é a terceira vez que o atendimento é suspenso em duas semanas. Desta vez, segundo o hospital, por tempo indeterminado.

Conforme o hospital, o motivo da suspensão foi a grande busca à emergência do hospital. Na segunda-feira (6), o hospital chegou a 98% de lotação. Na terça (7), devido à grande movimentação na emergência, o tempo de espera foi de dez horas no atendimento pelo Sistema Único de Saúde (SUS), e seis por convênios particulares.

De acordo com o hospital, é comum o maior movimento nesta época do ano por causa de doenças típicas da estação, como pneumonia. Mas não é recomendável levar crianças para a emergência se o caso não for grave.

Ainda segundo o hospital, mesmo continuando o atendimento no pronto socorro para as pessoas que possuem planos de saúde, não há leitos para internação. Os conveniados também devem ser encaminhados para outros hospitais.

Confusão

A Polícia Militar (PM) precisou intervir na noite de terça-feira (7) porque houve confusão na sala de espera. Parte das pessoas que aguardavam atendimento para os filhos forçou a entrada e invadiu o hospital.

“Chegamos aqui, e falaram que a gente não podia entrar porque o hospital estava cheio, e que não ia atender mais. A gente ficou muito revoltado, pois tem várias mães com os filhos que estão com o mesmo problema”, disse a diarista Joseilda Maria Noia.

Hospital Pequeno Príncipe fecha as portas para atendimento sem encaminhamento — Foto: Reprodução/RPCHospital Pequeno Príncipe fecha as portas para atendimento sem encaminhamento — Foto: Reprodução/RPC

O vice-diretor clínico do Pequeno Príncipe, Victor Horácio, falou que essa procura é fora do normal, e que o Pequeno Príncipe está com 370 crianças internadas, que é a capacidade máxima.

“Isso tem acontecido, principalmente, porque a procura aumentou muito depois da orientação de algumas unidades para que eles venham direto aqui. Quase 100% do hospital está com internamento. Das 16 macas que nós temos, 14 estão com crianças internadas. Estamos trabalhando com apenas um escritório. Não é falta de médico, é que a procura foi além das expectativas”, contou Victor.

Reabertura

Conforme o Hospital Pequeno Príncipe, ainda não existe ainda uma previsão para reabertura.

“Nós vamos reabrir o pronto atendimento a medida do possível, conforme nós formos conseguindo internar as crianças que já estão aqui. Para que só depois, a gente possa liberar os consultórios para atendimento”, explicou o vice-diretor clínico.

Hospital Universitário Evangélico Mackenzie

No terceiro dia de atendimento do ambulatório do Hospital Universitário Evangélico Mackenzie, no Bairro Água Verde, a população também reclama das filas e de ter que esperar o atendimento do lado de fora.

O ambulatório do hospital está em obras na sede principal, que fica no Bairro Bigorrilho, e por isso foi transferido para o novo endereço nesta semana.

 Segundo o hospital, são aproximadamente 700 pacientes que passam pelo ambulatório todos os dias, para atendimento em 37 especialidades.

A direção do hospital disse que está orientando os pacientes a não chegarem tão cedo para as consultas, e sim meia hora antes do horário marcado. Além disso, prometeram colocar uma cobertura no local de espera nos próximos dias.

“O posto de saúde é a porta de entrada pra todas as situações de saúde. É a unidade que terá condições de encaminhar conforme a necessidade de cada pessoa. Pode ser que resolva naquele momento na própria unidade, pode ser que agende para outro dia, mas se for uma situação de possível urgência, a unidade irá orientar a procurar a UPA mais próxima ou um hospital, que pode ser inclusive o Pequeno Príncipe”, explicou o diretor do SUS Pedro Henrique de Almeida.

São aproximadamente 700 pacientes que passam pelo ambulatório todos os dias, para atendimento em 37 especialidades — Foto: Reprodução/RPCSão aproximadamente 700 pacientes que passam pelo ambulatório todos os dias, para atendimento em 37 especialidades — Foto: Reprodução/RPC

Fonte: G1