Homens que comem muito fast food têm problema de fertilidade, diz pesquisa

04/07/2019 às 19:15. Comente esta notícia!

Restaurantes de fast food, como McDonalds e Burger King, estão acabando com a fertilidade masculina, é  o que revela uma pesquisa da universidade de Harvard. Adolescentes que preferem alimentos ricos em gordura e processados, como pizzas, salgadinhos, batata frita e hambúrgueres, estão matando as células produtoras de esperma, que nunca podem ser substituídas. O estudo também mostrou que uma dieta dominada por peixe, frango, legumes e frutas é melhor para proteger os espermatozoides e garantir níveis saudáveis de fertilidade.

É a primeira vez que uma pesquisa prova a influência da má  alimentação durante o crescimento nas chances de um homem ser pai. O professor Allan Pacey, da Universidade de Sheffield, uma das principais autoridades em reprodução masculina, explica:

– A má alimentação na juventude traz como consequência uma mudança que fica com você pelo resto de vida.

Os pesquisadores de Harvard acessaram os dados de cerca de 3.000 homens dinamarqueses de 19 anos. Eles passaram por exames médicos e por questionários. Das respostas ao teste, foram identificados quatro tipos de alimentação: “ocidental”, “prudente”, “Smorrebrod”, “vegetariana”.

AS DIETAS ANALISADAS

“ocidental” carne vermelha, carne processada, alimentos e bebidas gordurosos e açucarados
“prudente” frango, peixe, legumes e frutas “Smorrebrod” carnes frias processadas, grãos integrais, maionese, peixe frio, condimentos e laticínios “vegetariana” vegetais, leite de soja e ovos.

A saúde do esperma, medida pela concentração, volume e motilidade, foi melhor naqueles que seguiram a dieta prudente, seguidos pelas dietas vegetarianas e Smorrebrod, com a dieta ocidental produzindo as piores leituras. Os cientistas também realizaram testes hormonais indicando a saúde das células produtoras de espermatozoides, mais uma vez descobrindo que estas foram esgotadas nos homens jovens que favoreciam a junk food.

Acredita-se que uma pessoa não pode recuperar as células produtoras de espermatozoides que foram mortas pelo estresse oxidativo, o que tem implicações para a quantidade de espermatozoides que podem produzir a qualquer momento.

Via IBahia