Homem pula no mar e salva cãozinho

18/10/2018 às 10:43.

Um homem não pensou duas vezes e pulou no mar para salvar um cãozinho de se afogar no litoral de São Paulo.

O garçom Paulo Roberto, de 28 anos, viu uma movimentação estranha no Canal do Porto de Santos, em Guarujá, na manhã desta quarta-feira, 17.

Ele estava na barca que faz a travessia no canal entre Santos e Guarujá, voltando do trabalho, quando percebeu que o cachorro, conhecido como Kiko, de 13 anos, tinha caído no mar, depois de fugir de casa.

O cachorro estava a cerca de dez metros do atracadouro.

Ao chegar no Ferry Boat, Roberto pulou no mar.

“Funcionários da barquinha me disseram para não pular, mas fui o primeiro a tomar a iniciativa. Eu não ia deixá-lo se afogar”, explica.

Em menos de cinco minutos, o garçom conseguiu alcançá-lo e levá-lo de volta para terra firme, ato assistido por outros passageiros da embarcação.

Para Roberto, que sequer imaginava a repercussão que o salvamento teria, o ato foi instintivo e, em nenhum momento, ele pensou que poderia ter alguma coisa em troca.

“Não me sinto herói. Para mim, foi normal. Já atuei como guarda-vidas, e ele foi mais uma que salvei, como tantas outras vidas. Fico feliz que tenha dado certo”, finaliza.

Sumiço

Os proprietários do cãozinho estavam aflitos.

Jaqueline Cardoso, de 25 anos, já havia publicado nas redes sociais o sumiço do animal de estimação, que fugiu no momento em que o pai abriu o portão para lavar o carro.

“Achamos que ele saiu na tentativa de procurar minha mãe, que está viajando, pois ele nunca foi de fazer isso”, explica.

Moradora do bairro Santo Antônio, ela ficou surpresa ao receber o vídeo do resgate no Ferry Boat, que fica a pouco mais de dois quilômetros de distância da casa dela.

“Tomei um susto, não esperava que ele tivesse ido tão longe, e nem caído no mar. Fui com o meu pai até o terminal, mas, algumas ruas antes, já o encontramos e recuperamos”, conta.

Aos 13 anos, ‘Kiko’ já não ouve direito e enxerga mal, devido a uma catarata. Apesar do susto, tê-lo de volta foi um alívio.

“Nos preocupamos bastante, mas fiquei muito aliviada e grata pelo que o rapaz fez. Se ele não tivesse tomado aquela atitude, muito provavelmente o ‘Kiko’ teria se afogado”, diz Jaqueline.

Veja como foi o resgate:

Com informações do G1