Graciele Lacerda revela que assinou documento abrindo mão de tudo: ‘Não estou com Zezé pelo dinheiro’

05/09/2017 às 08:28.

É de mansinho que Graciele Lacerda vem se tornando muito mais do que a fiel companheira de Zezé Di Camargo. Se de início parecia que a moça viveria à sombra do noivo, hoje ela começa a lucrar com a imagem e acaba de assinar um contrato com o escritório que alavancou a carreira fitness de Gracyanne Barbosa e Juju Salimeni.

“Ficar dependendo de uma pessoa é muito ruim, isso me incomodava muito. Quando conheci o Zezé, ele não queria que eu trabalhasse, mas aos poucos fui voltando”, entrega Graci, que desde janeiro voltou a pagar as próprias contas: “Até paguei um jantar caro para ele. É gostoso. Comprar presente para ele com o meu dinheiro e não o dele”.

A musa sertaneja de Zezé  mudou-se para uma mansão cinematográfica em Tamboré, São Paulo junto do companheiro. Mas Graciele logo avisa que por ela não haverá festa nem cerimônia religiosa: “Nunca sonhei com nada tradicional. Assinei um documento em que abri mão de tudo. Não estou com Zezé pelo dinheiro”.

Casa nova

“É uma nova etapa na minha vida. A mudança foi feita esta semana, os móveis já chegaram. Só falta a decoração. Fui me acostumando a estar em São Paulo. As pessoas perguntam: ‘vocês vão casar?’, ‘vão ter filhos?’. Mas eu e Zezé deixamos acontecer, tudo no seu tempo, não sou de apressar. Fui ficando, primeiro fui trazendo uma mala, depois outra. Ficávamos numa casa provisória no Alphaville. Agora finalmente vou ter minhas coisas arrumadas”.

Companheiros

“Sou de cuidar dele, do horário de remédio, de comer. Fico lembrando que ele tem que comer, porque ele acaba esquecendo e fica trabalhando o dia todo. Faço palhaçada, a gente ouve música, canta. Sou companheira em todas as horas”.

Ciúme

“Zezé é muito desconfiado. No decorrer da vida, já teve várias mulheres casadas que deram em cima. Ele fala: ‘mulher quando quer, sai da reta’. Ele viveu esse assédio a vida toda. Aí eu falo, não sou igual a essas mulheres, acha que vou fazer a mesma coisa? Ele não deixa eu viajar sozinha, nem morto. Se eu andar sem ele, tenho que botar uma roupa mais comportada, roupa mostrando, só com ele, aí ele gosta. Se eu tiver com ele, ele não sente ciúme. Pelo contrário, até pede para eu usar decote. Para andar sem o Zezé, tenho que andar de burca”.

Casamento

“Nunca sonhei com nada tradicional. Festa não significa nada, tenho uma outra visão. Tanta gente que casa, gasta horrores e separa. O que importa é o sentimento, não é um papel que vai validar o que sinto por ele. O que vale para mim é o que ele sente, de ele exigir que eu o acompanhe, do ciúme, isso é o mais importante. Tenho um documento assinado que abro mão de tudo, foi uma escolha minha, eu que pedi, mesmo casando ou não, não quero e não estou com ele para isso”.

Filhos

“Não me vejo mãe, amo criança, mas se você me perguntar: ‘quer ter filhos agora?’. Eu diria não. O reloginho ainda não bateu, mas pode ser que morando junto eu mude de ideia. Zezé ficou preocupado, a decisão de congelar óvulos foi dele. Quando for o momento, quero um casal de gêmeos. Por ter congelado óvulos, a probabilidade de virem dois é muita”.

Via:  Jornal Extra