Ao Vivo

Governo autoriza 547 nomeações a mais para Polícia Federal. Serão chamados 1.047 aprovados em concurso

24/05/2019 às 09:51.

O governo federal autorizou a nomeação de 1.047 candidatos aprovados no concurso público realizado pela Polícia Federal (PF). Segundo o Decreto 9.801, publicado no Diário Oficial da União desta sexta-feira, dia 24, além dos 500 classificados dentro do número de vagas inicialmente previsto no edital da seleção, serão chamados mais 547 aprovados.

O último concurso da PF, realizado no ano passado, oferecia 500 vagas de delegado, perito criminal federal, agente, escrivão e papiloscopista, para ambos os sexos. Os salários variavam de R$ 11.983,26 a R$ 22.672,48. A seleção ficou a cargo do Cespe/UnB. As taxas de participação custaram de R$ 180 a R$ 250.

Havia vagas, preferencialmente, para os seguintes estados: Acre, Amapá, Amazonas, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins, além de unidades de fronteira. A distribuição das oportunidades era a seguinte: 112 delegados, 44 peritos criminais (para diferentes áreas), 135 agentes, 60 escrivães e 22 papiloscopistas.

Segundo o Decreto 9.801, agora serão chamados mais 169 delegados, 64 peritos criminais (para diferentes áreas), 229 agentes, 68 escrivães e 17 papiloscopistas.

Confira os requisitos de cada cargo

Todos precisam ter idade mínima de 18 anos completos na data de matrícula no curso de formação profissional, além de Carteira Nacional de Habilitação de categoria “B”, no mínimo. Também é necessário estar em dia com as obrigações eleitorais e militares (neste último caso, para candidatos do sexo masculino).

Delegado

Diploma de bacharel em Direito e comprovação de três anos de atividade jurídica ou policial.

Perito criminal federal

Diploma de conclusão de curso superior em nível de graduação dos cursos especificados.

Agente

Diploma de conclusão de curso superior em nível de graduação.

Escrivão

Diploma de conclusão de curso superior em nível de graduação.

Papiloscopista

Diploma de conclusão de curso superior em nível de graduação.

Via Jornal Extra