Ao Vivo

Gêmeas vendidas online em 2001 completam 20 anos e uma delas “nunca quis ter contato com mãe biológica”

21/01/2021 às 08:26.

As gêmeas Kiara e Keyara quando bebês (Foto: Arquivo pessoal)

O caso das gêmeas americanas Kiara e Keyara Wecker chocou o mundo em 2001, depois que elas foram vendidas pela internet para dois casais diferentes, o que desencadeou uma batalha transatlântica. No fim, nenhum deles conseguiu permissão para ficar com as bebês. Vinte anos depois, elas se tornaram jovens mulheres e vivem nos Estados Unidos.

A mãe das meninas, a americana Tranda Wecker, tinha 28 anos e era mãe de cinco quando colocou as gêmeas de quatro meses para adoção por 4 mil euros. Elas foram inicialmente adotadas pelo casal Richard e Vickie Allen, da Califórnia. Dois meses depois, Tranda apareceu novamente na casa dos Allen, afirmando que seria uma última visita e que levaria as meninas para um passeio para se despedir. Ela nunca mais voltou.

Tranda havia encontrado uma oferta melhor – o casal Alan e Judith Kilshaw, do País de Gales, que estava disposto a pagar 8,2 mil euros por por Kiara e Keyara. Os galeses voaram para San Diego em 1 ° de dezembro de 2000, onde encontraram as bebês pela primeira vez e as levaram para um hotel. Dois dias depois, o irmão de Vickie Allen conseguiu localizar o casal e confrontou os Kilshaw, exigindo que devolvessem as meninas.

Tranda Wecker, a mãe biológica das meninas (Foto: Reprodução)
Tranda Wecker, a mãe biológica das meninas (Foto: Reprodução)

Eles negaram e rapidamente fizeram as malas e foram para o Arkansas, onde o processo de adoção foi concluído em uma audiência de cinco minutos, depois levaram as gêmeas (renomeados Kymberley e Belinda) de volta para sua casa em Buckley, no País de Gales.
Àquela altura, os serviços sociais do Reino Unido e dos Estados Unidos haviam sido alertados sobre a bizarra batalha pela custódia das meninas e, na noite de 19 de janeiro de 2001, assistentes sociais e policiais apareceram no Beaufort Park Hotel em Flintshire, Reino Unido, onde os Kilshaws estavam escondidos com os bebês.

Sob uma medida protetiva de emergência, Kiara e Keyara foram retiradas de seus novos pais adotivos após um impasse de três horas e colocadas sob cuidados do serviço social. Nas semanas que se seguiram, o FBI investigou como as garotas haviam sido vendidas online para dois casais diferentes, enquanto o então primeiro-ministro do Reino Unido, Tony Blair, prometia acabar com o “deplorável” comércio de bebês por dinheiro.

Enquanto isso, os americanos Allen imploraram a Tranda para não ir aos tribunais e devolver as bebês para a casa na Califórnia, onde tinham vivido por dois meses. Eles até apareceram no programa da apresentadora Oprah Winfrey, onde confrontaram os Kilshaws, que também queriam as meninas de volta.

Um tribunal no Missouri concedeu a custódia dos gêmeos a Aaron Wecker, seu pai biológico que disse que Tranda havia negligenciado as filhas ao vendê-las pela internet. A própria Tranda tentou recuperar a guarda das bebês, mas não teve sucesso.

As gêmeas com o casal de galeses Alan e Judith Kilshaw (Foto: Arquivo pessoal)
As gêmeas com o casal de galeses Alan e Judith Kilshaw (Foto: Arquivo pessoal)

No entanto, depois que as meninas foram devolvidas aos Estados Unidos, o pai perdeu a guarda e elas foram entregues a uma família adotiva nova no Missouri, onde mais uma vez receberam nomes diferentes que nunca foram divulgados.

Em uma entrevista ao The Mirror, a mãe adotiva das meninas, que optou por ter seu nome relevado, disse que as gêmeas se tornaram “belas jovens com seus próprios sonhos e ambições” que agora estão estudando na universidade. “Nada as impedirá de atingir os objetivos”, disse a mãe. “Desde o dia em que foram trazidas a nós, foram criadas com amor incondicional. Deus nos abençoou e somos eternamente gratos.”

Enquanto isso, Tranda Wecker, tentou retomar o contato com as meninas pela primeira vez em 2006. “O contato que as meninas têm com Tranda depende delas”, disse a mãe. “Mas Keyara não quer nada com ela.” Ela disse que as gêmeas são esforçadas, se destacaram na música e nos esportes e cresceram com personalidades distintas, sendo Keyara mais extrovertida e Kiara mais reservada.

As gêmeas atualmente com a mãe no Missouri, Estados Unidos (Foto: Arquivo pessoal)
As gêmeas atualmente com a mãe no Missouri, Estados Unidos (Foto: Arquivo pessoal)

Via: Revista Crescer