Gaúcha vai morar fora e família imprime sua foto para levá-la em todos os lugares

08/08/2017 às 12:53. Comente esta notícia!

(Fotos: Rani Vargas – Reprodução)

 

Rani Vargas pode se considerar uma mulher sortuda e muito amada.

A jovem de 31 anos,  nascida em Santa Maria (RS) e criada em Porto Alegre, sempre foi muito grudada com sua família. Pelo menos uma vez na semana eles se reuniam para tomar um chimarrão e jogar conversa fora.

Mas tudo mudou quando Rani precisou se mudar para os Estados Unidos com o marido. Todos sentiram muito a falta dela, já que foi a primeira da família a morar longe.

Quando ela se mudou, sua prima, (“praticamente uma irmã”, segundo Rani) estava grávida. Ela fez um chá de bebê, mas infelizmente Rani não conseguiu voltar para participar da festa.

A prima e a família perceberam o descontentamento de Rani e então decidiram bolar uma surpresa para ela.

Para que ela pudesse participar de tudo,eles tiveram uma ideia muito criativa: imprimiram uma foto dela  e a “levaram” para participar de todo o processo.

“No dia anterior ao da festa elas “me levaram” pra ajudar a fazer os doces e encher balões. Depois disso eu “fui” no chá de bebê,  e de lá pra cá, já “estive” no aniversário da minha irmã, do meu pai. Eles me incluem em tudo!”conta Rani.

(Fotos: Rani Vargas – Reprodução)

 

“Por parte de mãe, somos uma família só de mulheres. Desde que a minha mãe faleceu (há cinco anos), a gente faz questão de estar sempre juntas. Elas sentiram muito minha mudança e tentam me envolver em tudo, mesmo à distancia. Até o parto da minha prima eu acompanhei!”, conta Rani.

E quando não é possível levar a foto impressa dela, eles usam uma foto no celular mesmo, para garantir que ela nunca fique sem participar de nada!

 

(Fotos: Rani Vargas – Reprodução)

 

 

(Fotos: Rani Vargas – Reprodução)

 

A foto de Rani ficou tão popular que até seus amigos entraram na onda. “Já teve até um amigo que foi visitar a minha tia e fez foto “comigo” pra me mandar!”, diverte-se.

Rani  contou que ficou emocionada com o gesto e que isso ajuda a matar as saudades.

“Enfim, foi e ainda é bem difícil passar as datas comemorativas longe. Mas eles dão um jeito – e eu amei!”, completa.

 

Fonte: Razões para Acreditar