Galo é processado por cantar cedo demais

05/07/2019 às 08:55.

Um galo enfrenta um processo judicial na França por… cantar cedo demais. A queixa foi apresentada pelos seus vizinhos, residentes da ilha turística de Oléron. O animal é acusado de provocar danos sonoros, e o resultado do julgamento será conhecido em setembro.

Maurice, por estar “cansado”, não apareceu perante o tribunal de Rochefort. Nem estiveram presentes os queixantes, um casal de aposentados e alguns vizinhos que passam férias.

A proprietária do galo, Corinne Fesseau, teve apoio de uma dúzia de manifestantes. O grupo acenou com pequenos cartazes em frente ao tribunal, em que se lia: “Nós nos preocupamos com nossos galos da ilha”.

Maurice se tornou um símbolo de resistência rural na França e até virou manchete do jornal New York Times. Para o advogado Vincent Huberdeau, que representa a acusação, não se trata de um julgamento da “cidade contra o campo”, mas sim “é um problema de dano sonoro: o galo, o cachorro, o chifre, a música … é um dossiê sobre o ruído “.

Cerca de 155.000 pessoas assinaram petições nos últimos meses em apoio a Maurice. Bruno Dionis du Séjour, prefeito da pequena cidade de Gajac, até defende que os ruídos do campo sejam classificados como “patrimônio nacional” francês.