Ao Vivo

Feirão de livros da UFPR tem descontos de no mínimo 40%

13/04/2021 às 08:05.

Prédio histórico da UFPR, na Praça Santos Andrade, no Centro de Curitiba. Foto: Marcelo Andrade/Arquivo/Gazeta do Povo

A Editora UFPR promove, de maneira virtual, de 13 a 15 de abril, o 11º Feirão de Livros, que terá descontos mínimos de 40%. São 36 editoras participantes, entre universitárias e comerciais. Simultaneamente será realizado o “Ciência pra quê?”, com encontros virtuais para discutir o tema, tão importante no contexto atual. Os livros poderão ser adquiridos pelo site do feirão (>>> clique aqui <<<) e as discussões acompanhadas pelo canal da Editora no YouTube.

O feirão, como ocorre na versão presencial, pretende ampliar o acesso da comunidade universitária e da comunidade externa a diversas publicações, ao oferecer o acesso a livros de editoras conceituadas por meio de uma vitrine virtual com preços muito atrativos, contribuindo para o fortalecimento do hábito da leitura.

No site do evento, o público poderá consultar as editoras participantes. Ao clicar na aba editoras, o leitor será direcionado a uma página exclusiva com a lista de livros disponíveis e o link da loja virtual de cada editora participante, para acessar e comprar os livros com os descontos.

As editoras inscritas para a feira são as seguintes: Autêntica Grupo; Bazar do Tempo; Blucher; Editora 106/Aller Editora; Editora 34; Editora Aleph; Editora Argos; Editora Contracorrente; Editora da UFCSPA; Editora da Unicamp; Editora FiloCzar; Editora Fiocruz; Editora Inverso; Editora Senac/SP; Editora UEPG; Editora UFMG; Editora UFPR; Editora Unesp; Editora Unifesp; Editora Unisinos; Editora Univille; Editora Vozes; Editus; EdiUnesc; Eduem; EdUFSCAR; Edufu; Edusp; Exitus Livros; Kotter Editorial; Pucpress; Revan; Taschen; Todavia Editora; Ubu Editora; Zagodoni Editora.

Debate “Ciência pra quê?”

A novidade deste ano será o “Ciência pra quê?”, que irá promover debates sobre a importância da Ciência, inclusive das Ciências Humanas, em momentos difíceis como o que vivemos, da pandemia de covid-19.

Via: Tribuna Do Paraná