Ao Vivo

Favelas de Curitiba e região onde vivem 869 famílias serão revitalizadas

05/07/2021 às 08:27.

Em Curitiba, serão realizadas obras de melhoria na infraestrutura, urbanização e reassentamento. Foto: Átila Alberti/Arquivo/Tribuna do Paraná

As prefeituras de Curitiba e São José dos Pinhais vão receber cerca de R$ 60 milhões do Ministério do Desenvolvimento Regional para a revitalização de favelas nos dois municípios. Ao todo, as obras do Programa Pró-Moradia vão beneficiar 869 famílias da Vila Ferrovia e Vila Palmeiras, em Curitiba, e da Vila Iná, em São José dos Pinhais.

A assinatura do contrato foi feita no fim da manhã desta sexta-feira (2) no Palácio Iguaçu, e contou com a presença do ministro Rogério Marinho, do governador do Paraná, Carlos Massa Ratinho Júnior (PSD, e dos prefeitos das duas cidades, Rafael Greca (DEM) e Nina Singer (Cidadania).

Na capital serão realizadas obras de melhoria na infraestrutura, urbanização e reassentamento. A expectativa do prefeito Rafael Greca é que os mais de R$ 21 milhões beneficiem 445 famílias de baixa renda. “É habitação de interesse social, é uma coisa muito boa para a paisagem urbana de Curitiba e resolve, inclusive, um problema, um nó que foi atado nos anos de 1990. Nós acolhemos com grande alegria e vemos no ministro um grande amigo de Curitiba e do Paraná”, comentou o prefeito. https://b129d88c0e0aa8eff9ac24a031f73ba3.safeframe.googlesyndication.com/safeframe/1-0-38/html/container.html

Em São José dos Pinhais uma das principais obras a serem financiadas pelos recursos do programa federal é a construção de um dique para a contenção das cheias no Jardim Modelo. “São obras que já vinham acontecendo, é um grande projeto que nós temos e que já está em execução. Só no dique vão mais de R$ 15 milhões. Já tinha sido dado início, mas nós precisávamos de mais recursos para acabar com todo esse processo para efetivar a questão do Jardim Modelo na nossa cidade e atender a população que lá está”, pontuou a prefeita Nina Singer.

O ministro do Desenvolvimento Regional disse, em entrevista coletiva, que a pasta está estimulando outros municípios para apresentarem seus próprios projetos. Segundo ele, o Programa Pró-Moradia apresenta uma “visão holística e extremamente importante” porque recupera áreas degradadas ao mesmo tempo em que recompõe o cenário das cidades.

“[São] regiões que precisam de investimento na sua infraestrutura, notadamente na área de canalização de córregos, do tratamento adequado das águas pluviais, do esgotamento sanitário, de reformas habitacionais e até de construção de moradias, além da regularização fundiária. É importante que outras prefeituras se sensibilizem para buscarem este mesmo instrumento, já que a organização das cidades é essencial para o país como um todo”, avaliou.

O governador do Paraná citou outros programas habitacionais, como o Casa Verde e Amarela e o Casa Fácil, e comemorou a parceria que o estado tem com o governo federal. “É um investimento muito importante para o nosso estado. Habitação é uma das grandes metas da nossa administração e precisa de atenção e cuidado contínuos. Queremos melhorar a qualidade de vida dos paranaenses, especialmente daqueles mais necessitados, daqueles com renda mais baixa. Nós já temos uma grande parceria com o ministério em um programa habitacional que é o maior do Brasil, o Programa Casa Fácil, que juntamente ao Programa Casa Verde e Amarela e agora o Pró-Moradia, colabora para que o estado possa resolver, se não na totalidade em grande parte, essa questão da regularização fundiária e dar a possibilidade da pessoa ter uma casa própria com um financiamento baixo”, afirmou.

Via: Tribuna Do Paraná