Família que vai dar a volta ao mundo em ônibus para ‘amplificar a experiência do viver’

25/10/2018 às 11:34. Comente esta notícia!

Uma família que pretender dar a volta ao mundo em um ônibus fez uma parada em Goiânia até o próximo domingo (28) antes de seguir viagem. Eles saíram de São Paulo, já estão na estrada há mais de um ano e a ideia é seguir rodando pelos próximos sete. Segundo o patriarca, o escritor Rodrigo Nunes, a aventura é uma forma de “amplificar ao máximo a experiência do viver”.

Ele, a mulher, a técnica em laboratório Andreia Razze, e os três filhos, de 18, 8 e 7 anos viajam a bordo de um ônibus adaptado e completamente equipado. O veículo de 15 metros de comprimento tem sala, cozinha, banheiro e quartos, além de armários e itens como geladeira e fogão.

Após passear pelo Brasil, a família pretende visitar, ao todo, 80 países em quatro continentes pelos próximos sete anos. Neste período, a expectativa é percorrer cerca de 150 mil km.

Rodrigo já havia viajado toda a América duas vezes de moto – uma delas com a esposa na garupa. Depois, as distâncias começaram a ficar mais “curtas” e o desafio cresceu. Então, a ideia foi passar essa experiência ampliada ao lado de toda a família.

“Como viajante, a gente consegue amplificar ao máximo essa experiência do viver, que é conhecendo o máximo de coisas, máximo de pessoas, de comida. Tudo que o mundo possa oferecer ao ser humano, a gente entende que viajando a gente consegue viver ao máximo”, afirma.

No começo, Andreia ficou reticente com a ideia, mas resolveu deixar o trabalho de 20 anos em uma empresa e mergulhar de cabeça na ideia. Ela faz questão de dizer que não se arrepende nenhum pouco.

“Não sabia se estava fazendo a coisa certa e hoje eu tenho certeza que é a melhor coisa que eu fiz. Estava enfiada no trabalho e não via outra coisa a não ser trabalhar, trabalhar e trabalhar”, conta.

O escritor explica que morar em uma casa sobre rodas tem várias vantagens, desde não ter de pagar imposto até se livrar dos vizinhos chatos.

“É a casa nossa já há um ano e três meses e é o que a gente pretende nos próximos sete anos, manter-nos vivendo aqui. Não precisa pagar IPTU, por exemplo e se o vizinho é chato, a gente aciona o motor e vai embora. Se o vizinho é gente boa e o lugar é gostoso, dá para ficar curtindo mais”, brinca.

Como bancar a viagem?

Rodrigo diz que o custeio da viagem é feito exclusivamente pela venda do livro escrito por ele contando sobre suas experiências. Além disso, os locais por onde a família passa também ficam registrados nas redes sociais.

“A gente não tem o patrocínio, não tem o dinheiro guardado e não tem uma fonte de renda externa que não seja o que a gente conquista durante a viagem. E aí então, com a renda do livro, ‘Fique Rico Viajando’, é que a gente mantém a viagem acontecendo”, explica.

Apesar das viagens, as duas filhas pequenas do casal não deixaram de estudar. Elas seguem matriculadas na escola, recebem a apostila e seguem o conteúdo durante a viagem com o auxílio dos pais.

Já o primogênito, Lucas Razze, pensa em usar a bagagem que conseguir durante a viagem para, posteriormente, entrar em curso superior.

“Pretendo sim usar essa experiência que eu vou ganhar nessa viagem para, de repente, fazer uma faculdade, que é do meu interesse, que eu ainda não tenho, mas eu pretendo desenvolver esse interesse por, de repente, marketing, turismo”, destaca.

Para Andreia, mesmo com pouco tempo em cada cidade – eles chegaram em Goiânia na última terça-feira (23) – é possível estreitar laços com os moradores locais.

“A gente nunca passou nenhum perrengue e o mais difícil para nós mesmo é a despedida das pessoas porque nós conhecemos tanta gente boa que nesse mundo. A gente tem feito muitas amizades”, avalia.

Família que vai dar a volta ao mundo em ônibus para desembarca em Goiânia  — Foto: TV Anhanguera/Reprodução

Família que vai dar a volta ao mundo em ônibus para desembarca em Goiânia — Foto: TV Anhanguera/Reprodução