‘Existe preconceito comigo por conta do ritmo que canto, por fazer plástica’, diz Anitta

16/06/2017 às 14:36.

A cantora Anitta é a convidada do “Conversa com Bial” desta quinta-feira, dia 15. De frente para o jornalista, ela vai falar sobre as transformações e polêmicas da carreira. A musa, que já era mais do que conhecida em solo brasileiro, aterrissou nos Estados Unidos e no México; cantou com Iggy Azalea, Maluma, Wesley Safadão, Major Lazer e Pabllo Vittar; e lançou uma nova música que conquistou sete milhões de visualizações no YouTube em apenas um dia.

“Aqui no Brasil, ainda existe muito preconceito comigo por conta do ritmo que eu canto, por ser muito nova, por rebolar, por fazer plástica e assumir. Eu vim da favela, vim do nada, não tenho nenhum milionário injetando dinheiro em mim. Então, eu precisava do meu país para ter essa força toda para ir para fora. Fui planejando essa quebra de barreiras e rótulos aos poucos”, explica a moça, que assume toda a administração de sua própria carreira.

Defensora do funk como expressão da cultura da nossa sociedade, ela tem levado ao conhecimento de outros povos algumas palavras em português.

“A palavra ‘bunda’ está se internacionalizando graças à Anitta”, comenta Pedro Bial, que quer saber o que significa, então, a famosa “Paradinha”.

Anitta diz:

“Paradinha é um ‘quadradinho’ com outro nome, porque o Brasil já enjoou desse termo”, diz a moça, referindo-se a outro sucesso do ritmo e mostrando como é que se faz a tal coreografia. Ao lado de suas bailarinas, ela ainda tem tempo de ouvir uma declaração do apresentador: “Morro de orgulho dessa menina.”

Via:extra.globo.com