Ao Vivo

Estudante de 14 descobre molécula que pode levar à cura da Covid

22/10/2020 às 08:58.

Foto: divulgação

Uma garota de 14 anos, do Texas, EUA, descobriu uma molécula que pode se ligar seletivamente à proteína do novo coronavírus – SARS-CoV-2.

Anika Chebrolu fez uma abordagem chamada “método in-silico” para encontrar uma molécula que pode se grudar à proteína do novo coronavírus, impedindo que a infecção se espalhe.

A descoberta rendeu a Anika o primeiro lugar no Young Scientist Challenge – Desafio Jovem Cientista 2020 – a principal competição de ciências do ensino médio da América.

A ligação e a inibição dessa proteína viral poderiam impedir a entrada do vírus na célula, criando um alvo viável para a droga.

“Nos últimos dois dias, eu percebi que houve uma comoção da mídia ao redor do meu projeto, principalmente porque envolve o vírus SARS-CoV-2 e reflete nossas esperanças coletivas de acabar com essa pandemia, e eu, como todas as pessoas, gostaria de voltar à vida normal logo”, disse Anika.

Pesquisa

Como parte de sua pesquisa, Anika de Frisco examinou milhões de pequenas moléculas quanto a propriedades de semelhança com drogas, propriedades de ADMET e afinidades de ligação contra a proteína de pico usando várias ferramentas de software.

A única molécula com melhor atividade farmacológica e biológica em relação à proteína spike do vírus SARS-CoV-2 foi escolhida como a molécula líder que pode ser uma droga potencial para o tratamento eficaz de COVID-19.

A estudante e os outros nove finalistas passaram os últimos meses trabalhando com um cientista da 3M que atuou como mentor e trabalhou um a um para transformar uma ideia de conceito em protótipo físico.

Foco no vírus

Anika não planejava inicialmente estudar um coronavírus.

Depois de ser acometida por um forte surto de gripe no ano passado, ela esperava realmente ajudar a encontrar a cura para a gripe.

Foi então que a  COVID-19 atingiu o mundo, e ela sabia exatamente em que concentrar sua atenção.

Melhor Jovem Cientista

Por seu trabalho de pesquisa de proteínas de pico, Anika agora pode se chamar orgulhosamente de “Melhor Jovem Cientista da América”.

Além de um presente 25 mil dólares, ou 140 mil reais por seu trabalho premiado, ela também receberá uma viagem especial.

“A ciência é a base da vida e de todo o universo e temos um longo caminho a percorrer para entendê-la totalmente”, disse ela ao Yahoo .

E este é apenas o começo do trabalho COVID-19 de Anika.

“A molécula vem sendo desenvolvida com ajuda de virologistas e especialistas para a elaboração de um medicamento. O resultado disso vai determinar o sucesso dos nossos esforços”, disse Anika.

Ela explica os avanços no vídeo: https://www.youtube.com/embed/fziWyFUO2dw?feature=oembed

Com informações do GNN e Catraca Livre

Via: https://www.sonoticiaboa.com.br/2020/10/21/estudante-14-anos-descobre-molecula-pode-levar-cura-covid/