Ao Vivo

Erastinho completa um ano e já é um dos maiores em transplante de medula do país

01/09/2021 às 08:13.

Fachada do Hospital Erastinho. Foto: Marcelo Andrade / divulgação.

Nesta próxima quarta-feira (1º) o Hospital Erastinho completa um ano com resultados positivos em prol de crianças e adolescentes: foram mais de 6 mil consultas e 700 cirurgias. O hospital infantojuvenil tornou-se um dos maiores em transplante de medula óssea do Brasil e da Região Sul.

De janeiro a julho deste ano, o Erastinho realizou 28 transplantes de medula óssea (TMOs), quantidade superior à soma dos procedimentos desse tipo executados nos três anos anteriores – 16 em 2020, seis em 2019 e quatro em 2018. Vale lembrar que, antes da inauguração da unidade, o atendimento a crianças e adolescentes com câncer ocorria em uma ala do Hospital Erasto Gaertner (HEG). 

Para Adriano Lago, superintendente do Complexo de Saúde Erasto Gaertner, não faltam motivos para celebrar. “Estamos muito orgulhosos por comemorar este primeiro aniversário com tantos feitos importantes para a população do Paraná e de todo Sul do país”, destacou.

Outros indicadores apontam a força e a excelência nos atendimentos. No total, de outubro do ano passado a julho deste ano, já foram feitas 5.235 consultas ambulatoriais, 1.259 consultas no Pronto Atendimento e 736 cirurgias. No período, foram 266 novos casos registrados, que tiveram acesso a uma ampla variedade de serviços.

Um desses trabalhos foi um marco para todo o Complexo Erasto Gaertner. Em 7 de junho último, pela primeira vez na história, uma criança com menos de 10 anos foi submetida a uma cirurgia robótica na Região Sul. Bem-sucedido, o procedimento, com o uso do robô Da Vinci, também foi um dos primeiros em casos oncológicos pediátricos a empregar essa tecnologia no país. A técnica, executada no Erasto, com a equipe do Erastinho, consistiu na retirada do rim com tumor de um paciente de 4 anos que já tinha passado pela primeira etapa do tratamento, a quimioterapia. Com recuperação bastante satisfatória, ele pôde ter alta apenas 40 horas após a intervenção.

Primeiro hospital oncopediátrico do Sul

O Erastinho é o primeiro hospital oncopediátrico do Sul do Brasil. Com quase 5 mil metros quadrados, a unidade abriga 43 leitos de internamento privativos e semiprivativos, recepção, lobby, atendimento ambulatorial, hospital-dia, centro cirúrgico e alas de internação (clínica, cirúrgica, TMO e UTI). Pouco mais de seis meses após sua inauguração, o hospital expandiu sua atuação, com o Pronto Atendimento Geral para conveniados (planos de saúde) e particulares, que passou a oferecer também especialidades médicas não oncológicas, como ortopedia, neurocirurgia, cirurgia pediátrica e pediatria geral.

As instalações são fruto de um projeto iniciado em 2015, que contou com o apoio massivo da sociedade civil e de parceria entre os diferentes Poderes, no aporte financeiro para a construção. O projeto completo, e finalizado, custou R$ 30 milhões. Deste valor, R$ 22 milhões foram investidos na construção do Hospital através um convênio firmado com o Governo do Estado do Paraná, por meio da Secretaria de Estado de Saúde do Paraná (SESA), que destinou, ao todo, cerca de R$ 11 milhões. O restante do valor necessário para a conclusão da obra foi captado pelo Hospital Erasto Gaertner junto à sociedade civil através de eventos, projetos e doações espontâneas.

A edificação propriamente foi concluída e entregue em tempo recorde: um ano e meio. A unidade tem capacidade anual para até 17 mil consultas, 500 cirurgias e mais de 85 mil procedimentos. Alas coloridas e com toques lúdicos ajudam a minimizar a doença e até um espaço recreativo como uma brinquedoteca humaniza ainda mais o tratamento.

Via: Tribuna Do Paraná