Ao Vivo

“Encontro de almas”: Leandra Leal fala pela 1ª vez da adoção e desafios para criar Julia

12/04/2017 às 11:16.

Leandra Leal, mãe de Julia, de 2 anos, é bastante reservada quando o assunto é a adoção da pequena. No entanto, na última semana ela abriu uma exceção e falou com Lázaro Ramos sobre os desafios de criar uma filha mulher, negra e adotiva no Brasil – País que, sabemos, infelizmente ainda é bastante conservador e recheado de preconceitos.

A atriz e o marido, Alê Youssef, conseguiram a guarda de Julia em junho de 2016. Discretos, eles nunca tinham comentado muito sobre a filha. Mas, Lázaro, em uma entrevista para o programa “Espelho”, exibido pelo Canal Brasil, conseguiu tirar alguns comentários de Leandra. “Acho que só falaria nisso num programa com você, Lázaro”, brincou.

❤️❤️ Obrigada @tinicorosa

A post shared by Leandra Leal (@leandraleal) on

“Tive minha filha da forma mais linda do mundo”, comentou a atriz sobre a adoção. “Isso é muito transformador, muito puro, muito louco. A forma como me tornei mãe foi muito mágica. Foi um encontro de almas”, completou.

Mas, não foi só sobre o amor incondicional que Leandra comentou. O Brasil, infelizmente, ainda é um país racista e a família sabe que essas questões, cedo ou tarde, serão uma realidade na vida da pequena.

Foi a partir da constatação dessa realidade que Leandra passou a se questionar, questionar seus valores e até seus amigos. “Comecei a ver que na Zona Sul do Rio de Janeiro não vejo tantos negros, ela é predominante branca. Comecei a me incomodar muito, porque falta referências para ela”, comentou.

Para exemplificar a existência do racismo, a atriz abordou uma questão bastante falada. Mulheres negras constituem o grupo que recebe os menores salários do País. “O salário mais baixo é apenas a quantificação do valor que você está dando àquela pessoa. Me preocupo muito de passar para ela desde pequena o valor dela, como ela é incrível, ela é um fenômeno, um fenômeno e o que eu procuro é que ela seja uma mulher forte, que tenha consciência do que vai enfrentar, que nunca seja mascarado, que ela seja uma guerreira, como toda mulher Leal”, disse a atriz brincando com seu sobrenome.

Para tentar proteger a pequena, Leandra lembrou que por um tempo cogitou se mudar do Brasil, mesmo sem antes nunca ter sonhado com isso. “Nunca tinha pensando nisso antes. Sempre quis viver e trabalhar no Brasil. Mas durante um tempo, no ano passado, fiquei perguntando: ‘O que vai acontecer? Que lugar é esse que vou oferecer?’. Queria viver a experiência de uma sociedade igualitária e justa, queria um pouco de paz”, desabafou.

Agora, no entanto, a atriz disse ter se convencido de que é capaz de fazer de Julia uma mulher forte dentro dessa realidade por vezes triste. “Eu tenho fé de que ela esteja preparada para lidar com isso”, disse.

Via:Vix