Ao Vivo

Em foto tocante, menina de 5 anos ajuda irmão de 4 a vomitar após sessão de quimioterapia

12/09/2019 às 11:03.

Aubrey, 5 anos, massageou as costas do irmão, Beckett, 4 anos, enquanto ele vomitava no banheiro, após uma sessão de quimioterapia.

Aubrey Burge, 5 anos, poderia estar brincando, jogando bola, correndo, assistindo TV ou estudando como qualquer menina. Mas ela largou tudo e optou por ficar ao lado de seu irmãozinho, Beckett, 4 anos, que precisava de apoio após uma sessão de quimioterapia.

Naquela manhã, o pequeno estava vomitando muito devido aos efeitos colaterais dos medicamentos utilizados na oncologia para destruir as células doentes que formam um tumor.

Aubrey Burge, 5 anos, poderia estar brincando, jogando bola, correndo, assistindo TV ou estudando como qualquer menina. Mas ela largou tudo e optou por ficar ao lado de seu irmãozinho, Beckett, 4 anos, que precisava de apoio após uma sessão de quimioterapia.

Naquela manhã, o pequeno estava vomitando muito devido aos efeitos colaterais dos medicamentos utilizados na oncologia para destruir as células doentes que formam um tumor.

menina massageia costas irmão vomitando banheiro

Naquela manhã, Aubrey ficou o tempo todo ao lado do irmão, enquanto ele passava mal no banheiro, massageando suas costas. Ela ainda o ajudou a lavar o rosto e as mãos, o levou de volta para o sofá na sala, e se ofereceu para limpar o banheiro, segundo a mãe.

“Ela não sabia o que estava acontecendo, mas ela sabia, por experiência própria, que quando ela estava doente, esfregávamos as mãos nas suas costas e a ajudávamos. Então, ela repetiu o gesto com o irmão. Ela massageava as costas dele e dizia para que ia ficar tudo bem, além de limpar seu rosto e lavar suas mãos”, diz. “Ela ainda me perguntou se podia limpar o banheiro, mas eu disse para ela ir se sentar, porque aquilo não era trabalho para ela”, completa.

Quimioterapia e câncer infantil

“Uma coisa que ninguém te conta sobre câncer infantil é que ele afeta a família inteira. Você sempre escuta sobre as dificuldades médicas e financeiras, mas com que frequência você ouve sobre os apertos que as famílias que têm outras crianças vivem? Para alguns, isso pode ser difícil de ler e ver. Meus dois filhos, com 15 meses de diferença de idade, foram de brincar juntos na escola e em casa para se sentar juntos em um quarto frio de hospital. Minha menina, então com 4 anos, viu seu irmão ir de uma ambulância para a UTI. Ela viu uma dúzia de médicos colocarem uma máscara no rosto dele, colocar várias agulhas, colocar uma dúzia de medicamentos no corpo dele, tudo enquanto ele estava ali, deitado, sem poder fazer nada. Ela não tinha certeza do que estava acontecendo. Tudo o que ela sabia era que algo estava errado com o irmão dela, com seu melhor amigo”, escreveu Kaitlin.

Via: Razões Para Acreditar