Efeitos do narguilé: como ele detona 5 partes do seu corpo (mais do que o cigarro)

08/08/2017 às 12:48. Comente esta notícia!

O narguilé é um tipo de cachimbo de origem oriental à base de água e tabaco aromatizado que, nos últimos anos, se popularizou muito no Brasil. No entanto, apesar do sabor adocicado e leveza do fumo, ele é um perigo ainda maior que o cigarro. Entenda o porquê a seguir.

 

(Foto: Namiroz / Istock)

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), fumar narguilé por um intervalo de 20 a 80 minutos pode ser o mesmo que fumar de 100 a 200 cigarros em termos de exposição a substâncias tóxicas. Isso porque, segundo o Ministério da Saúde, enquanto a quantidade de fumaça inalada quando se fuma 1 cigarro varia entre 0,5 e 0,6 litros, o volume é de 0,15 a 1 litro em uma tragada do narguilé.

Substâncias tóxicas

De acordo com o Ministério da Saúde, a nicotina do narguilé é menos concentrada em função da filtragem com água. Ao invés de tornar o fumo menos tóxico, isso faz com que o usuário dê tragadas mais profundas para atingir níveis satisfatórios da toxina. Consequentemente, são inaladas maiores quantidades de outras substâncias tóxicas presentes na fumaça.
Além do tabaco, há substâncias tóxicas no carvão utilizado no preparo desse tipo de fumo, como o benzeno e o alcatrão.

Agravantes

Por ser mais leve e doce, o narguilé permite que seus fumantes o utilizem por horas a fio, aumentando o tempo de exposição, e atrai pessoas jovens. Segundo a pesquisa Vigilância de Tabagismo em Escolares (Vigescola) do Ministério da Saúde, 93% dos entrevistados que consumiam cigarros, faziam uso também do narguilé.

Como o narguilé prejudica cada parte do seu corpo

(Foto: Thinkstock)

Cérebro: sonolência ou insônia, ansiedade, inquietação, dependência química e psicológica.

(Foto: Thinkstock)

Pulmões: diminuição da capacidade respiratória, lesões nas vias aéreas, inflamação nos brônquios e lesões nos alvéolos.

(Foto: Thinkstock)

Boca: retração da gengiva, mau hálito, manchas escuras e inflamação crônica.

(Foto: Thinkstock)

Sistema digestivo: gastrite, úlceras, náusea e constipação intestinal.

(Foto: Thinkstock)

Sistema reprodutor: impotência e perda da libido, infertilidade masculina e má-formação fetal durante a gestação.

Fonte: Vix