Ao Vivo

Idosa de 81 anos realiza sonho radical e salta de paraquedas

19/05/2017 às 13:18.

Uma aposentada de Jaboticabal (SP) realizou um sonho radical na primeira semana de maio. A idosa Theresinha Nazario Martucci, de 81 anos, resolveu pular de paraquedas e surpreendeu amigos e familiares com a decisão. Atleta há anos, ela afirma que chega a fazer corridas de até 20 quilômetros durante o fim de semana e explica que ficar parada não é uma opção para ela.

Segundo Theresinha, ela começou a praticar esportes há 27 anos. Inicialmente, a aposentada começou com caminhadas, mas logo passou a realizar diversos tipos de atividades físicas. Hoje a rotina da idosa conta com idas à academia, caminhadas e até mesmo aulas de violão.

“Minha rotina é maravilhosa. O mais tarde que eu deito pra ir dormir é umas 20h30, 21h, no máximo. Acordo e levanto às 4h todos os dias. Faço minhas orações, rezamos o terço eu e meu marido e aí levanto e já começo a trabalhar. Vou pra cozinha, já faço as coisas que tenho que fazer e deixo a cozinha limpa antes de ir pra academia”, explica.

Uma vez na academia ela diz que alterna dias de natação com musculação. Já na quarta-feira, ela deixa de ir ao local pela tarde porque tem que preparar comida para três famílias e por isso o treino acontece de manhã.

“Todo dia faço corrida, 8 ou 9 quilômetros, fim de semana faço 15, 16 até 20 quilômetros às vezes. Muitos ficam desacreditados porque não convivem comigo então falam que talvez não seja verdade, mas é, basta perguntar pro meu marido. E outra, eu tenho um caderno que marco tudo, marco meus treinos, tudo que faço, então tenho comprovante que tal dia fiz isso”.

De acordo com a aposentada, seu marido fica preocupado com ela e sempre pede que ela pegue leve durante os treinos. Theresinha diz, porém, que já criou um método para enganar o companheiro e sempre acaba conseguindo terminar seus treinamentos como planejou originalmente.

“Ele fala assim pra mim: ‘você vai? Não vai demorar né?’ e digo que não, que vou fazer um treino pequeno, mas que nada, eu engano ele e faço grande. Eu falo que vou fazer 3 quilômetros e faço 6, 9, 10. Já estou na rua e falo: ‘agora tenho que aproveitar’. Pra mim o mais difícil é ficar parada. Tenho pavor de ficar parada, é morte pra mim”, explica.

O sonho de pular de paraquedas surgiu depois da admiração por quem já praticava o esporte. Theresinha explica que o desejo de ‘voar’ veio com o objetivo de completar a liberdade que ela já tinha. O salto foi realizado na primeira semana de maio no município de Boituva, na região de Sorocaba.

“Estava lá em cima olhei para as coisas tudo pequeninha e falei, ‘meu Deus, que poder Deus dá para cada um de nós’. E essas pessoas tão medrosas, essas pessoas que têm medo de tudo, essas pessoas que têm medo de enfrentar um emprego novo, medo de perder a mulher, medo de perder a família, medo de enfrentar uma viagem grande, medo de ficar pobre, medo de ficar rico também. É tão simples de procurar o que é bom para vida, o que é bom para a saúde, o que é bom para tudo, o remédio que se ganha gratuitamente, sem pagar nada”, afirma.

E quem acha que ela já está contente com a aventura nas alturas se engana porque a idosa já está de olho na 3ª Corrida Integração Ribeirão. A prova está marcada para o dia 2 de julho a partir das 8h. Theresinha conclui dizendo que suas atividades são suas alegrias e já está aprendendo a tocar violão para o dia em que não conseguir mais seguir com as atividades físicas.

“Eu gostaria que todos fossem felizes como eu sou. Mesmo com problemas que eu tive e que eu tenho, mas não tem importância, a felicidade passa por cima de tudo, e o amor. E sem medo, medo para lá, longe”, finaliza.

Via:g1.globo.com