Ao Vivo

Dono da rede Havan, Luciano Hang entra para a lista de bilionários da ‘Forbes’

06/03/2019 às 16:17.

 

O empresário Luciano Hang, dono da rede varejista Havan, entrou para a lista de bilionários da revista americana Forbes. Na posição 1.057, ele tem uma fortuna estimada em US$ 2,2 billhões. Com mais de cem lojas no Brasil, a Rede Hab cresceu nos últimos anos abrindo unidades em pequenas e médias cidades.

A edição de 2019 da lista, divulgada nesta terça-feira, também confirma o banqueiro Joseph Safra no posto de mais rico do Brasil , com uma fortuna de US$ 25,2 bilhões e na 31ª posição. Ele já havia ultrapassado Jorge Paulo Lemann, do 3G, na lista em tempo real, que acompanha as fortunas dos bilionários dia a dia. No ranking anual, Lemann aparece no 35º lugar, com US$ 22,8 bilhões.

Em entrevista à revista Forbes, Hang disse que seu objetivo é “dar uma experiência que vai além de fazer compras”. O estilo da rede é inspirado nos principais símbolos dos EUA. Por isso, a entrada de algumas das lojas conta com uma réplica da Estátua da Liberdade de Nova York. A rede foi fundada em 1986. Em 2017, a companhia somou receita de cerca de US$ 1 bilhão.

Hang foi um dos apoiadores da candidatura do presidente Jair Bolsonaro (PSL). Em novembro do ano passado, o empresário se envolveu em polêmica relacionada ao pedido de votos para o então candidato. Com isso, o Ministério Público do Trabalho de Santa Catarina (MPT- SC) entrou com ação civil pública contra as lojas Havan.

Os procuradores pediram indenização por danos morais coletivos no valor de R$ 25 milhões e por danos morais individuais: R$ 5 mil reais para cada um dos 15 mil trabalhadores da rede. De acordo com o MPT, foi comprovado que a empresa realizava “pesquisa eleitoral com identificação dos seus empregados e praticava assédio moral com fins de interferir no livre exercício do direito de voto nas eleições 2018”.

 

Mais brasileiros na lista

Mas o empresário não foi o único destaque brasileiro. A Forbes lembrou que o Brasil somou 58 bilionários neste ano, totalizando fortunas de US$ 175 bilhões. Na última edição da revista, foram 42 brasileiros no ranking.  Apesar do avanço, o país ainda está longe do recorde de 65 empresários apontados no levantamento em 2014. A Forbes destaca a presença de Luiza Helena Trajano, a maior acionista das lojas Magazine Luiza. Ela está na posição 1.425, com fortuna estimada em US$ 1,6 bilhão.

Outro destaque foi a chegada de Samuel Barata ao ranking. Ele é acionista da rede de Drogarias DPSP, a segunda maior rede do país, com mais de mil lojas, criada após a fusão da rede Pacheco e Drogaria São Paulo. A empresa registrou alta de 11% na receita em 2017, para de US$ 2,4 bilhões em 2017. Com isso, Barata ficou na posição 1.818, com fortuna estimada em US$ 1,2 bilhão.

A Forbes também destacou três integrantes de uma mesma família da área de saúde. Eles comandam a Hapvida, que abriu seu capital na Bolsa de Valores no ano passado.  O oncologista Candido Pinheiro Koren de Lima comanda o grupo e ficou na posição 1.008, com fortuna estimada em US$ 2,3 bilhões. Seus dois filhos (Cândido Pinheiro Koren de Lima Júnior e Jorge Pinheiro Koren de Lima) ficaram na  posição 1.818, com fortuna de US$ 1,2 bilhão cada.

Os fundadores da JBS, os irmãos Joesley e Wesley Batista, que recentemente estiveram envolvidos em casos de corrupção com políticos , estrearam neste ano graças ao aumento na demanda por carne bovina na China e nos Estados Unidos, segundo a Forbes. Eles estão na posição 1.717, com fortuna estimada em US$ 1,3 bilhão cada.

 

 

Fonte:  O Globo