Donald Trump pode comparecer à posse de Bolsonaro em 1.º de janeiro

26/11/2018 às 08:33. Comente esta notícia!

Segundo equipe de transição, convite foi bem recebido, mas presença ainda não foi confirmada. Assessor de Segurança Nacional dos EUA vem ao Brasil na semana que vem para encontro com Bolsonaro

Republican presidential candidate Donald Trump waits to speak as he is introduced at the New York Veterans Police Association during a campaign event in the New York City borough of Staten Island, NY, on April 17, 2016. New York State Primaries will held on April 19, 2016. (Photo by Anthony Behar)

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, pode comparecer à cerimônia de posse de Jair Bolsonaro (PSL), em Brasília, no dia 1.º de janeiro de 2019. Segundo informações da equipe de transição do futuro presidente brasileiro, o convite foi bem recebido e está sendo avaliado pela Casa Branca. Ainda há conversas em andamento para que o martelo seja batido.

Trump não costuma comparecer a posses de presidentes eleitos, enviando, normalmente, um chanceler para essas cerimônias. Se confirmada, sua presença implicaria em mais um reforço na segurança do evento. Seria também a primeira vez que Trump visitaria o Brasil na condição de presidente.

Pelo Twitter, o assessor de Segurança Nacional dos Estados Unidos (NSA), John Bolton, confirmou que fará uma viagem ao Brasil na próxima semana, quando deve se encontrar com Bolsonaro. “Ansioso para encontrar com o próximo presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, no Rio, em 29 de novembro. Compartilhamos muitos interesses bilaterais e trabalharemos de perto para aumentar a liberdade e a prosperidade em todo o Hemisfério Ocidental”, escreveu.

Bolton viajará ao Brasil antes de ir a Buenos Aires, na Argentina, para o encontro do G-20. Dias antes de Bolton ir ao Brasil, o deputado eleito Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente eleito e um dos articulares da aproximação do novo governo com os EUA, viajará a Washington.

Na capital americana, ele participará de um evento a portas fechadas com membros do Brazil-US Business Council e de um almoço organizado pelo American Enterprise Institute nos dias 26 e 27.
Relação entre Bolsonaro e Trump

Horas após a confirmação da vitória de Bolsonaro, ele e Trump conversaram por telefone brevemente. O americano parabenizou Bolsonaro pela eleição e afirmou que pretende trabalhar junto com o presidente brasileiro sobre acordos na área militar, comercial e também em questões regionais. Assim como Trump, Bolsonaro é crítico do governo de Nicolás Maduro, presidente da Venezuela.

No início do mês, em discurso, Bolton considerou a eleição de Bolsonaro no Brasil como um sinal positivo na América Latina e destacou que o brasileiro é um parceiro com ideias semelhantes às dos EUA. Bolton, que é um dos conselheiros do presidente Donald Trump para política externa, considera Bolsonaro como um aliado na região contra governos de esquerda como Venezuela, Cuba e Nicarágua – o que ele já chamou de “troica da tirania”.
Como será a posse

A cerimônia de posse começará pela manhã com um culto na Catedral Metropolitana Nossa Senhora Aparecida, seguida de um almoço no Itamaraty. Depois, ocorre a posse formal no Congresso Nacional. A última parada é o Palácio do Planalto, com a simbólica subida da rampa e a troca da faixa presidencial.

Ainda há dúvidas se Bolsonaro desfilará em carro aberto, no tradicional Rolls-Royce Silver Wraith de 1952, utilizado pela primeira vez por Getúlio Vargas, em 1953.

Alguns aliados são contrários à ideia por medidas de segurança, especialmente após o atentado sofrido pelo presidente eleito em um ato de campanha, em Juíz de Fora (MG), em setembro.