Dez temas que podem aparecer na redação do Enem desse ano

16/08/2018 às 08:58. Comente esta notícia!

Ainda faltam três meses para a prova do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), mas quem prestará o exame já precisa estar preparado para a avaliação.

Quando se trata da redação, muitos candidatos ficam aflitos com o tema que será escolhido e, claro, qual a melhor forma de abordá-lo. Para auxiliar os alunos que estão se preparando, a Gazeta do Povo separou 10 possíveis temas que podem aparecer na redação do ENEM em 2018. Veja abaixo:

1. Divulgação de fake news e suas consequências  

O assunto está em alta e deve crescer com a proximidade das eleições. As chamadas fake news, ou seja, notícias falsas compartilhadas em redes sociais e/ou aplicativo de troca de mensagens, são perigosas por serem divulgadas como verdade e difundidas rapidamente.

Segundo Gabriel Félix, professor de redação do curso Positivo, de Curitiba (PR), o candidato deve abordar o tema por meio da noção de democracia e ética. Além disso, ele sugere aplicar o que foi estudado durante o ensino médio. “Neste caso, o melhor caminho é trabalhar os conceitos de filosofia e sociologia”, recomenda.

Carolina Ruedas, docente de produção textual do colégio Renovatus, de Campinas (SP), vai adiante.

“Os alunos precisam ter em mente que as fake news têm intenção de confundir o leitor”, explica. “Por isso, deve-se expor os perigos envolvidos e como esse problema pode ser solucionado”, completa.

2. Sistema público de saúde e o combate a doenças epidêmicas  

Após o surto de febre amarela no início de 2018, agora é o sarampo que preocupa a população. Doenças que antes eram consideradas erradicadas estão voltando e se tornaram um problema gravíssimo de saúde pública.

Caso esse seja o tema, Carolina aconselha que os alunos usem o texto de apoio como ajuda. “Ele vai mostrar o tom de voz que o candidato deverá dar para sua redação. A partir dos dados fornecidos, é necessário formular sua própria argumentação”.

Waldeneia Martins, professora de língua portuguesa da rede Marista de colégios, também acredita que o tema possa aparecer.

“A descrença que as pessoas estão tendo as vacinas pode ser questionada e até mesmo associada às fake news propagadas nas redes sociais”, analisa.

3. A regulamentação da sustentabilidade  

O meio ambiente é um tema quente e pode ser abordado na redação desse ano. O uso de canudinhos plásticos, por exemplo, vem sendo discutido de forma pontual em alguns estados. A utilização de agrotóxicos também foi pauta na Câmara dos Deputados.

“Independentemente do tópico em si, por se tratar de Enem, o candidato deverá obrigatoriamente dar uma proposta de intervenção”, diz Waldeneia.

O aluno precisará questionar o papel social e político envolvido em relação aos problemas ambientais, mas também o da ciência. Para isso, noções de biologia, ecologia e química, de acordo com Gabriel Felix, podem fazer a diferença.

4. A situação dos moradores de rua no Brasil  

Segundo uma pesquisa do Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) de 2015, 101 mil pessoas vivem em situação de rua no país. É uma realidade comum que ganhou ainda mais destaque após o desabamento de um prédio no centro de São Paulo, em maio.

De qualquer forma, se for tema do Enem 2018, ele pode ser relacionado a matérias estudadas na vida escolar como a formação da sociedade brasileira e a construção das cidades.

5. O esporte como formação social de cidadania  

Em ano de euforia pela Copa do Mundo na Rússia, a possibilidade de um tema relacionado ao esporte, mas em âmbito nacional, é alta. Para Gabriel Félix, o candidato deve dissertar sobre como essas atividades “promovem valores humanos, espírito esportivo e ascensão social”.

“Trabalhar com exemplos da atualidade que tiveram histórias de superação por meio do esporte e agora têm uma vida melhor, além de utilizar o que se aprendeu na disciplina de educação física, é essencial para o aluno escrever uma boa redação”, recomenda.

6. A demarcação de terras e os direitos dos índios  

A população indígena brasileira, segundo dados do censo demográfico do IBGE de 2010, é de 817.963 índios, que representam 305 etnias diferentes. O ritmo de crescimento, porém, tem aumentado gradativamente, já que mais pessoas têm se considerado indígenas com o passar dos anos.

No entanto, o direito dos índios ainda é questionado, além de fazer parte de diversos debates na Câmara dos Deputados.

Por isso, em relação a um assunto como esse, o aluno precisa estar antenado aos temas da atualidade, a par das notícias do dia a dia, movimentação de projetos na Câmara e posição de parlamentares. Na redação do Enem, com auxílio do texto de apoio, deverá dar sua opinião por meio de argumentos e propor uma solução.

7. O sistema carcerário brasileiro e a superlotação das prisões  

Segundo dados do Departamento Penitenciário Nacional (Depen) de junho de 2016, a população prisional brasileira é de 726.712. Entretanto, o número de vagas é de apenas 368.049.

O problema já é antigo no Brasil e sempre está em pauta, por isso há chance de ser tema de redação; Carolina Ruedas crê que, por se tratar de um problema social, o assunto tem tudo a ver com o Enem.

“O sistema prisional em si, a superlotação de celas e até mesmo a demora de julgamentos podem fazer com que o exame exija que o aluno discorra sobre o tema”, afirma.

A professora ainda alerta para a proposta de intervenção exigida pelos corretores. “Não adianta nada o candidato apresentar vários problemas se não solucionar todos eles”, analisa.

8. Como as mídias sociais aumentam a busca excessiva pela perfeição  

O que é felicidade? Essa é a questão que começará a ser respondida em uma nova disciplina na Universidade de Brasília (UnB). Inspirada em Harvard e Yale, que já propõe o estudo, a matéria será lecionada a partir de agosto.

A motivação pelo perfeccionismo e pelo ter, ao invés do ser, está relacionada diretamente, para algumas pessoas, à felicidade. Em meio a tempos de mídias sociais, blogueiras e youtubers, o consumo pela imagem aumentou agressivamente.

Por isso, é importante pensar que algum tema relacionado à busca excessiva pela perfeição pode, sim, cair no Enem. Expor a tese logo na introdução e explicar causas e consequências associadas ao assunto é essencial, além da resolução da questão.

9. Caminhos para efetivar os cuidados com dependentes químicos no Brasil  

O uso de entorpecentes também é um grande problema social no país. Como lidar com dependentes químicos e tratar assuntos como depressão e suicídio relacionados a essa questão são questões que podem aparecer na avaliação.

Para a professora Carolina Ruedas, os episódios que aconteceram no centro de São Paulo, como a “higienização da Cracolândia”, aumentam a chance do tópico ser objeto de discussão no Enem 2018.

“É importante lembrar que o candidato não deve infringir os direitos humanos em seu texto, mesmo que aquilo faça parte de uma realidade diferente da dele”, alerta.

10. A modalidade do homeschooling, a educação domiciliar  

Segundo a Associação Nacional de Educação Domiciliar (Aned), a busca por essa modalidade aumentou 916% entre 2011 e 2016 e há no Brasil, atualmente, entre 5 mil a 6 mil famílias que educam os filhos em casa.

Por ser um método relativamente “novo”, que de acordo com a docente Waldeneia Martins costuma ser compartilhado entre os pais mais jovens, ele pode ser tema na prova do Enem.

“Há toda uma questão social envolvida na discussão: existe, por exemplo, o argumento de que essa opção prejudica o convívio com outras crianças se compararmos com um estudante de uma escola tradicional”, explica a professora.

O ideal, segundo ela, é mostrar a opinião baseada em argumentos e começar a tese logo no primeiro parágrafo.

“Além disso, é bom lembrar que o Enem aceita textos em primeira pessoa, mas é preferível que se escreva na terceira”, diz.