Ao Vivo

Curitibanos já instalaram mais de 450 bancos em pontos de ônibus da cidade

19/05/2017 às 08:15.

Segundo levantamento realizado neste mês, seriam 452 locais com os equipamentos em toda a cidade

Tem banco de madeira, concreto e até tijolos: alguns são muito bem feitos (foto: Franklin de Freitas)

Cerca de 11% dos mais de 4 mil pontos de ônibus de Curitiba possuem bancos. Não foi o Poder Público, porém, o responsável pela instalação dos equipamentos. Foi a própria população que, cansada de ter de esperar em pé pelo ônibus, resolveu colocar a “mão na massa” para ter um pouco mais de conforto, instalando 452 bancos pelos 75 bairros das 10 administrações regionais da Capital.

Os dados constam de um levantamento produzido entre os dias 19 de abril e 13 de maio pela assessoria do deputado estadual Rasca Rodrigues que, com base em mapas do IPPUC que continham a localização exata dos roteiros de ônibus de Curitiba percorreu a cidade. O objetivo, segundo o próprio deputado, era verificar a necessidade de assentos nos abrigos de ônibus. Ele defende o fim do “bundódromo”, que é como ele chama aquela barra de ferro em que as pessoas se encostam nas estações tubo e pontos de ônibus pela cidade.
“O resultado do levantamento corrobora com o que já percebíamos de forma empírica: os curitibanos sentem a falta de banco nos pontos de ônibus”, destacou Rasca, que desenvolve a campanha por assentos nos mobiliários desde 2013.
Segundo o político, em nenhum dos 452 casos houve o registro do uso dos assentos por pessoas em condição de rua, um argumento constante daqueles que se opõe em investir em melhorias desse tipo.

Empresário doou 12 unidades

O deputado Rasca Rodrigues faz questão de ressaltar os cuidados daqueles que colocam os bancos com a limpeza e manutenção dos equipamentos. Esse é o caso de Luiz Alberto Gomes Silva, proprietário da empresa Giba Guinchos. Desde 2013 ele já instalou 12 bancos pela cidade e garante que não irá parar enquanto a Prefeitura não se opor.
“Até hoje ninguém falou nada, aí fui me espichando. A hora que o prefeito inventar de dizer que os meus bancos não prestam e resolver colocar um melhor, aí eu paro. Estou me especializando e acho que até morrer vou fazer uns bancos muito bons”, brinca o homem de 64 anos, que já está com mais dois bancos prontos em casa para instalar e ajudar a população.
De tempos em tempos Luiz retira os equipamentos dos pontos e os leva para casa, onde faz a manutenção. Casos de vandalismo, porém, são poucos, conta ele. O que precisa ser feito é por causa do uso da população mesmo.

Ippuc pode fazer estudo e projeto neste ano
Nesta semana, o deputado Rasca Rodrigues entregou o relatório ao prefeito Rafael Greca no Instituto de Pesquisa Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc). Segundo o deputado, o prefeito, juntamente com o presidente do Ippuc, Reginaldo Reinert, informou que um estudo para definir um projeto padrão de banco será criado pelo órgão e um projeto-piloto deve ser colocado em prática ainda neste ano.
“Percebemos também um cuidado muito grande de quem coloca os bancos com a limpeza e manutenção dos assentos”, salientou Rasca. No documento, o deputado mostra algumas reações positivas da população. “Teve uma vez que uma mulher com criança no colo esperou em pé quase uma hora. Daí eu tinha algumas madeiras sobrando e resolvi fazer o banco”, contou o aposentado Acir Baumgartner, de 70 anos.

Via: Bem Paraná