Ao Vivo

Curitiba testa sistema que avisa se pessoas com covid-19 passaram pelo local

31/08/2021 às 06:27.

Curitiba vai começar a testar um programa para avisar pessoas que tenham ido a estabelecimentos comerciais caso algum dos outros frequentadores do espaço tenha testado positivo para covid-19. O Check-in Seguro cruzará os dados de quem tiver confirmada a doença para identificar quem passou pelo mesmo local e horário dos contaminados – essas pessoas serão, então, comunicadas da situação.

A plataforma está na fase de testes desde esta segunda-feira (30). Após esse período de teste, empreendimentos como restaurantes, academias, espaços voltados à prática de atividades esportivas e casas de festas poderão fazer parte do projeto.

O Check-in Seguro vai funcionar da seguinte forma: os estabelecimentos participantes terão um QR Code na entrada, para que os frequentadores escaneiem o código por meio do celular e façam o check-in no local. Os dados serão armazenados. Assim, quando algum dos clientes do local testar positivo para o coronavírus, um comunicado via SMS será enviado aos demais que estiveram na casa no mesmo período.

O sistema vai considerar testes realizados três dias antes e sete dias depois, período em que pode ocorrer a transmissão do vírus. “Poderemos alertar as pessoas que estiveram no mesmo estabelecimento e horário, para que busquem orientação, diagnóstico e medidas assistenciais, caso necessário”, explica a secretária municipal de saúde Márcia Huçulack.

No momento do check-in, os indivíduos deverão informar o CPF, data de nascimento e telefone, exceto quem tem cadastro no e-Cidadão, pois o sistema já possui estas informações.

A adesão ao Check-in Seguro é facultativa pode ser feita de forma digital, e as empresas participantes vão receber um selo do programa. Para fazer o cadastro, basta informar o CNPJ da empresa e o CPF do proprietário. O único requisito é que o alvará de funcionamento do estabelecimento esteja em dia.

Para quem não estiver com celular, ou no caso do cadastro de crianças, as informações serão inseridas manualmente pelo estabelecimento.

As informações coletadas serão para uso exclusivo da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), com o objetivo de identificar os cidadãos diagnosticados com o vírus e monitorar as pessoas com quem teve contato.

Via: Tribuna do Paraná