Ao Vivo

Coronavírus pode ser espalhado no ar pela descarga do vaso sanitário

22/06/2020 às 08:09.

Foto: Pixabay

Lavar as mãos com frequência, fazer uso da máscara e manter o distanciamento social são medidas conhecidas contra a disseminação do novo coronavírus, e uma nova poderá ser adicionada daqui para frente: baixar a tampa do vaso sanitário antes de acionar a descarga.

Pesquisadores na China avaliaram a capacidade de a descarga espalhar partículas em aerossol que continham o vírus para fora do vaso sanitário. Eles perceberam que cerca de 40% a 60% delas saem do vaso, atingindo quase um metro e permanecendo no ar por mais de um minuto.

Apesar de essa não ser a principal via de transmissão da Covid-19, mas sim pelas gotículas de saliva e o contato direto, sintomas gastrointestinais, como diarreia e vômito, foram relatados associados à doença, indicando que o vírus pode sobreviver no trato digestivo. Até mesmo em amostras da rede de esgoto o novo coronavírus foi detectado, e essa tem sido uma das medidas de avaliação da circulação da doença.

Uma transmissão fecal-oral desse vírus, portanto, não está descartada, e o risco de entrar em contato com o coronavírus em banheiros contaminados existe. Ainda assim, os pesquisadores não sabem dizer se a quantidade de vírus espalhado pela descarga seria suficiente para contaminar uma pessoa.

Dê a descarga e lave a mão

Para chegar às conclusões, os pesquisadores avaliaram, por meio de uma dinâmica de fluídos computacional, as características do fluxo de água durante o acionamento da descarga de dois tipos de vasos sanitários e a influência desse processo no espalhamento das partículas contendo o vírus.

“Os resultados da simulação são alarmantes com o transporte massivo das partículas de vírus sendo observado, com 40%-60% das partículas ultrapassando o vaso sanitário, levando a um espalhamento de larga escala do vírus”, explicam os pesquisadores em artigo publicado na revista científica Physics of Fluids.

Os pesquisadores sugerem ainda algumas medidas de proteção que poderiam ser adotadas, como:

*Baixar a tampa do vaso sanitário antes de acionar a descarga, que pode prevenir a transmissão do vírus;

*Limpar o assento do vaso sanitário antes de usá-lo, visto que partículas contendo o vírus podem estar na superfície;

*Lavar as mãos com atenção depois da descarga, pois as partículas com os vírus podem estar tanto no botão de acionamento da descarga quanto na maçaneta da porta.

Esse estudo também destaca aos fabricantes de vasos sanitários e pede que produzam itens mais bem projetados, com vasos cujas tampas se abaixem automaticamente antes da descarga e que sejam autolimpantes antes e depois da descarga”, reforçam os pesquisadores na conclusão.

Via: Tribuna Do Paraná