Ao Vivo

Coronavírus: Hospital e maternidade de SP confirma caso positivo de Covid-19 em dois recém-nascidos

06/04/2020 às 09:11.

Um dos bebês teve alta e o outro está na UTI com quadro estável. Uma gestante de 44 anos também deu entrada na Maternidade Santa Joana (SP) com Covid-19 e quadro respiratório grave. Ela teve que ser submetida a uma césarea de emergência na 32 semana de gravidez. O bebê não resistiu.

Bebê internado em UTI testa positivo para Covid-19 (Foto: Pexels )

Um recém-nascido que nasceu a cerca de uma semana no Hospital e Maternidade Santa Joana (SP), cujo sexo não foi informado, testou positivo para o coronavírus. Ele é o primeiro caso de recém-nascido com coronavírus no hospital. A criança, que estava internada na UTI Neonatal para investigar uma cardiopatia, apresentou enterocolite, uma inflamação gastrointestinal, sinal atípico da doença e relatado na literatura como sintoma menos frequente da Covid-19.

“Nós só ligamos os fatos porque, além dos sintomas gastrointestinais do bebê, a mãe que estava indo visitar a criança, também relatou que se sentia muito cansada e estava com um pouco de secreção nasal. Decidimos testar e os dois deram positivo para Covid-19”, diz a infectologista Rosana Richtmann, do Hospital e Maternidade Santa Joana (SP).

Segundo nota, a maternidade informa que tomou todas as medidas de segurança e isolamento do recém-nascido. Como ele estava em uma mesma ala com mais três bebês, os especialistas decidiram fazer o teste nos outros três recém-nascidos. Dois testaram negativo para a doença, mas um foi infectado. “Este que foi infectado era assintomático, estava ótimo e recebeu alta hoje pela manhã”, disse. Os dois testados negativos passam bem – um ainda está na UTI para tratar outros problemas e o outro já está em casa.

Contaminação provavelmente aconteceu fora do útero

O primeiro bebê diagnosticado para a Covid-19 no hospital continua internado em UTI exclusiva, seu estado de saúde é estável e ele apenas trata os sintomas gastroentestinais. “Nós vimos que a cardiopatia que ele apresentava não é nada grave. Por isso, assim que ele melhorar esses sintomas gastrointestinais também deve receber alta. O único incoveniente é que ele não pode receber a visita da mãe, que está em casa isolada e também se recuperando do coronavírus”, revelou Rosana.

O bebê nasceu com APGAR nota 0 e não resistiu algumas horas depois. Segundo a infectologista, caso sobrevisesse, haveria risco de ter complicações sérias, devido à falta de oxigenação que teve no útero. “Depois da césarea, a mãe apresentou melhora no seu quadro de saúde, mas continua necessitando de respirador e cuidados constantes”, informou a médica.

Fachada do Hospital Santa Joana (Foto: Reprodução Facebook)
Fachada do Hospital Santa Joana (Foto: Reprodução Facebook)

Em nota, o Hospital e Maternidade Santa Joana disse ter ciência da sua responsabilidade frente à pandemia da Covid-19. “Desde o início, criamos um Comitê de Crise formado por infectologistas, obstetras e enfermeiros, além da diretoria e outros executivos, incluindo a área de suprimentos, que se reúnem de forma virtual diariamente para discutir e atualizar condutas e protocolos da maternidade em relação ao novo coronavírus com o objetivo de priorizar a segurança de pacientes, acompanhantes e profissionais da saúde.

Em relação à estrutura da maternidade, foram criadas áreas específicas para receber pacientes com casos suspeitos ou confirmados de COVID-19, desde a triagem na recepção, onde é orientada quanto ao uso da máscara, e seguindo para o Pronto Atendimento exclusivo separado da rotina, além de quartos de internação, UTI Adulto e UTI Neonatal. É importante ressaltar que o Santa Joana não é um hospital geral e atende exclusivamente mulheres e neonatos.

Os casos identificados de COVID-19 estão dentro da expectativa da instituição por ser uma maternidade de grande porte e que realiza um volume alto de partos por mês devido a sua estrutura para receber também casos de gestação de alta complexidade. As gestantes que passaram pela maternidade e testaram positivo para a COVID-19 estão em isolamento domiciliar por apresentar quadro leve da doença e se recuperando dentro do esperado.”

Via: Revista Crescer