Cor vermelha confunde passageiros na hora de optar pelo ligeirão ou pelo expresso tradicional

29/03/2018 às 08:23.

Foto: Aniele Nascimento

Um pouco confusos, mas ainda assim chegando mais rápido ao destino. Assim se sentiram os passageiros nesta quarta-feira (28), primeiro dia com mais uma opção de ônibus saindo do Terminal do Santa Cândida. Agora, além do tradicional biarticulado Santa Cândida/Capão Raso, que vai parando a cada tubo ao longo do trajeto, o ligeirão até a Praça do Japão promete ser mais rápido, justamente por ter menos pontos de embarque e desembarque.

Movimento intenso encheu até mesmo o ônibus que o prefeito embarcou. Foto: Lucas Sarzi.

Movimento intenso encheu até mesmo o ônibus que o prefeito embarcou. Foto: Lucas Sarzi.

“Senti que as pessoas não estavam tão bem informadas sobre o começo da circulação da nova linha, por isso talvez o processo não tenha sido tão natural. Mas, por ser o primeiro dia, a gente entende”, avaliou Aline Silva, de 26 anos, que embarcou no terminal para descer no Passeio Público, aproveitando a agilidade no transporte.

O que pode ter colaborado que as pessoas não diferenciassem um ônibus do outro talvez tenha sido a cor dos novos ônibus. Os outros ligeirões que já operam em Curitiba são azuis e estes, que começaram a operar até a Praça do Japão, são vermelhos. “Mas é só ler no letreiro de cada coletivo e também nos pontos. Acredito que as pessoas precisam ter um pouco mais de atenção também”, avaliou o passageiro Kaio Oliveira, de 20 anos.

Movimento intenso

Na manhã desta quarta-feira, assim como todos os dias, o fluxo era intenso no terminal, que recebe também passageiros que chegam da Região Metropolitana de Curitiba (RMC), e o ponto mais movimentado ainda era o da linha tradicional dos biarticulados Santa Cândida/Capão Raso. “Mas logo percebemos a novidade, muita gente aproveitou por ser uma opção mais vazia e que para menos”.

Tanto no Santa Cândida, como também em outros pontos, como no Passeio Público, foram distribuídos panfletos informando sobre o ligeirão, assim como a ampla divulgação na mídia. Mas o próprio prefeito explicou que, por ser o primeiro dia, algumas confusões iriam acontecer mesmo. “Por enquanto, peço um pouco de paciência dos passageiros, porque ainda estamos no ajuste. Até uma nova cozinheira erra no sal no seu primeiro dia, mas estamos contentes com o que vimos”, disse Rafael Greca.

Qual ônibus pegar?

De modo geral, os passageiros aprovaram a novidade, mas ficou claro que ainda precisam se acostumar e vai ser algo bem pessoal avaliar qual linha é melhor pegar. Segundo a prefeitura de Curitiba, o intervalo entre cada ônibus deve ser menor do que dez minutos. “Teremos um ônibus a cada dois minutos, por isso digo que as pessoas não precisam entrar se o ônibus estiver muito lotado”, disse Rafael Greca.

Ponto final fica antes da Praça do Japão, onde o ônibus apenas faz o retorno. Foto: Gerson Klaina.

Ponto final fica antes da Praça do Japão, onde o ônibus apenas faz o retorno. Foto: Gerson Klaina.

Antes de embarcar, a sugestão é para que as pessoas se atentem aos pontos que cada linha vai fazer e avalie qual a melhor opção. Por exemplo: se você vai direto do Santa Cândida para o Centro, pegue o ligeirão. No sentido contrário, se você vai sair do Água Verde e quer parar próximo ao Centro Cívico, o ligeirão também pode ser uma boa saída, descendo no Passeio Público.

Onde o ligeirão para?

As paradas do ligeirão são em pontos estratégicos. Na direção à Praça do Japão, por exemplo, o coletivo vai parar somente nos terminais Santa Cândida, Boa Vista e Cabral. Chegando ao Centro, as estações vão ser a do Passeio Público, a Central (Praça Santos Andrade) e a Eufrásio Correia. Antes de chegar a estação-tubo final, o coletivo faz outra parada na estação Oswaldo Cruz e, por último, na Bento Viana.

Via: Tribuna do Paraná