Conheça os itens mais furtados pelos hóspedes nos hotéis: até TV está na lista

15/09/2017 às 12:17.

 

Foto: BigstockFoto: Bigstock

 

Xampu, sabonete, lençóis, lâmpadas, aparelhos de TV, colchões, obras de arte e até um piano. Todos esses objetos integram uma pesquisa que apontou os principais itens roubados em hotéis pelo mundo. Realizado pelo site LateRooms.com, o levantamento ouviu 8 mil estabelecimentos de diferentes países e produziu resultados no mínimo curiosos.

Em primeiro lugar estão os produtos de banheiro. Os kits de xampu, condicionador e sabonete disponibilizados pelos hotéis são frequentemente levados pelos hóspedes. Isso não chega a ser um problema, porque boa parte dos hotéis contabiliza esse tipo de produto no valor da hospedagem. Mas nem só do furto de cosméticos baratinhos vivem as estatísticas. O segundo lugar da lista é bem menos comum. Aparentemente a iluminação dos quartos de hotel é um dos objetos de desejo dos clientes. Muitos aproveitam suas estadias para levar consigo as lâmpadas do local.

Até baterias de controle remoto

Quem já precisou de uma pilha às 3h da manhã e não encontrou nada em casa vai entender o motivo de o terceiro lugar da pesquisa ser justamente essas pequenas baterias. Talvez pensando nesses momentos de raiva, hóspedes do mundo todo levam as pilhas retiradas de controles remotos e outros pequenos aparelhos dos hotéis. As macias toalhas de banho e rosto vêm na sequência, seguidas por plantas, Bíblias e tapetes de banheiro. Há, ainda, quem vá além das pilhas e embolse mesmo o controle remoto.

Mas nada se compara à ousadia de levar para casa um aparelho de TV inteiro. Isso aconteceu, de acordo com um dos hotéis entrevistados pelo LateRooms.com. O cliente em questão não parou por aí. Furtou também o frigobar do quarto em que estava hospedado. A pesquisa não explica, no entanto, como ele conseguiu deixar o hotel com esses itens.

No Brasil o cenário é o mesmo. Lâmpadas, talheres e toalhas são comumente surrupiados pelos hóspedes. De acordo com levantamento da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH), as toalhas e lençóis bordados com o logo dos estabelecimentos são alvos frequentes. Isso acontece porque muitos clientes as veem como souvenirs. “Hotéis que têm acesso direto à garagem sofrem mais”, diz a ABIH, que afirma que há relatos de furto até mesmo de aparelhos de ar condicionado.

Nada mudou

A pesquisa não é tão recente. Foi feita em 2015, mas não mudou muita coisa desde então. Também em 2015, o site Hoteis.com fez outra pesquisa com o público. A pergunta era muito simples: você já furtou itens de algum hotel? 61% dos 4 mil entrevistados em diversos países disseram que sim. No Brasil, o índice foi de 46%. As preferências eram um pouco diferentes. 20% das pessoas afirmaram ter levado produtos de papelaria, como canetas e bloquinhos. O segundo lugar ficou com as pantufas e chinelos, comodidade que os clientes gostam de incluir na bagagem no fim da estadia.

Alternativa

A Rede GJP Hotels & Resorts encontrou uma maneira criativa de resolver o problema de furtos de objetos em seus hotéis. Os itens mais cobiçados, como secadores de cabelo, travesseiros, cabides e até guarda-chuvas estão à venda na recepção dos hotéis e todos tem uma tag que diz: “Para adquirir este item, consulte a recepção. Ele está à venda por R$250″.  Isso no caso do secador, o guarda-chuva do apartamento pode ser adquirido por R$ 120 nos hoteis da rede.

Fonte: Viver Bem