Como foi aprender a andar de bike depois dos 30

28/12/2018 às 10:29.

Confesso: eu não sabia andar de bicicleta. Sempre que eu dizia isso em qualquer lugar, todo mundo se oferecia para me ensinar. Rolava aquele papo estranho, tipo “é só conseguir uma bicicleta que eu te ensino“. E, realmente, algumas pessoas até tentavam (beijo pro meu irmão, aqui!). Só que, virando a casa dos 30, eu não ia sair andando de bike em meia hora como se estivesse num filme francês – e também não estava afim de alugar alguém um dia inteiro para me ensinar.

Como percebi que eu odiava dirigir quando tinha meus 18 anos, acabei nunca tirando carteira e minha locomoção é baseada em ser pedestre e ganhar algumas caronas de vez em quando. Como eu morava numa parte quase rural da cidade, não fazia muita falta saber andar de bicicleta nesse quesito, já que eu não conseguiria chegar em nenhum lugar interessante sobre duas rodas. Mas há seis anos eu me mudei (e me mudei de novo e de novo nesse tempo) e percebi que era hora de aprender de vez a andar de bike.

Como dá pra perceber, o “de vez” demorou bastante para sair do campo das ideias. Até que, ano passado, eu descobri a BiciEscola, uma iniciativa gratuita que dá aulas de bicicleta para adultos que não sabem andar – eles também tem um projeto voltado a crianças e adolescentes. No início desse ano resolvi me inscrever para as aulas e fui chamada para participar da terceira turma em maio, logo depois de entrar pro time das balzacas.

bike5

Os encontros acontecem no Velódromo, um espaço especial para bikes no Parque Marinha do Brasil, em Porto Alegre, e não precisa ter bicicleta para participar. Eles emprestam a bike, um capacete e um colete para identificar os alunos durante a prática. A iniciativa gratuita é do Centro de Inteligência Urbana de Porto Alegre, da UrbsNova – Agência de Inovação Social e do Dudu Bike.

No dia, todo mundo chega com cara de idiota, já sabendo que vai passar vergonha. Tudo bem, não tem como escapar do ridículo que é aprender algo depois que a gente passou da idade. Mas todo mundo ali sabia que deixar de aprender era bem mais ridículo do que isso. E que, convenhamos, os 30 são os novos 5. ♥

Chegando na primeira aula, eles ensinam a subir na bike e manter o equilíbrio descendo uma ladeira sem pedalar. Quando você vê aquilo sem nunca ter subido numa bicicleta parece uma tentativa de suicídio coletivo, mas não é. Depois que todo mundo perde um pouco do medo de cair, começam as pedaladas ladeira abaixo (para pegar impulso e facilitar a arrancada).

bike6

À medida que o povo vai pegando o jeito da coisa, vai todo mundo tentar pedalar saindo de uma superfície plana. E, estranhamente, dá certo! 90% da turma já saiu da primeira aula pedalando – meio toscamente, mas pedalando.

Os próximos encontros (costumam ser 3 ou 4 aulas no total) são focados em melhorar a prática, pedalando pelo Velódromo ou desviando de cones para aprender a ter mais domínio sobre a magrela. Os alunos acabam sendo divididos de acordo com as habilidades, já que alguns pedalam super rápido e outros demoram um pouco mais. Mesmo assim, se alguém terminar as aulas e ainda não conseguir aprender ou ficar inseguro, existe a possibilidade de continuar na próxima turma. Ou seja, todo mundo tem chance de aprender, mesmo que demore! 🙂

Confesso que só fui em duas aulas porque tive uma bursite muito tensa no ombro no meio do caminho e tive que parar quase tudo que tava fazendo na vida por quase um mês. Mesmo assim, já saí de lá pedalando e razoavelmente confiante. E não, a bursite não tem nada a ver com as aulas de bike.

bike3

É claro que eu ainda não sou uma mega ciclista urbana, mas já estou me preparando para ensaiar umas pedaladas por aí assim que o clima colaborar e planejando voltar para fazer mais umas aulas. Em breve me arrisco pelas (ainda escassas) ciclovias porto-alegrenses para ver se levo mesmo jeito pra coisa.

Ah, e caso alguém queria se inscrever para participar das próximas turmas, é só mandar um e-mail para biciescolapoa@gmail.com, informando nome completo, idade e sua experiência com bicicleta (que pode ser nenhuma, por exemplo). Assim que surgir uma nova turma eles te chamam para aprender. Aproveita que é de graça! 😉

bike1