Ao Vivo

Como curar a ressaca do Carnaval

03/03/2019 às 12:34.

Para curar a ressaca é interessante ter uma alimentação leve durante o dia, tomar café preto sem açúcar e remédio para ressaca, como o Engov, por exemplo. Assim, é possível evitar que os sintomas de ressaca interfiram no dia-a-dia.

Apesar de haverem dicas para curar a ressaca, é possível também evitar que a ressaca aconteça, sendo recomendado intercalar a bebida alcoólica com um copo de água e comer alimentos com gordura, por exemplo.

7 dicas para curar a ressaca

A ressaca é causada pelo consumo de bebidas alcoólicas em exagero, provocando sintomas como desconforto, enjoo ou dor de cabeça, que podem ser curados rapidamente com as seguintes dicas:

  1. Tomar 2 xícaras de café preto sem açúcar, porque o café reduz o inchaço dos vasos sanguíneos que causam a dor de cabeça e ajuda o fígado a metabolizar suas toxinas;
  2. Tomar 1 remédio para ressaca como o Engov, por exemplo, que ajuda a diminuir os sintomas da ressaca como dor de cabeça e enjoos. Saiba quais os melhores remédios de farmácia para curar os sintomas da ressaca.
  3. Beber bastante água, porque o álcool causa desidratação, por isso deve-se beber vários copos de água ao longo do dia;
  4. Beber um suco de frutas natural, porque estes sucos possuem um tipo de açúcar chamado frutose que ajuda o corpo a queimar o álcool mais depressa. Um copo grande de suco de laranja ou tomate ajuda também a acelerar a remoção de álcool do organismo;
  5. Comer biscoitos de mel, porque o mel também possui uma forma concentrada de frutose, que ajuda a eliminar o álcool do organismo;
  6. Tomar uma sopa de legumes, que ajuda a repor o sal e o potássio que o corpo perdeu durante o consumo de álcool, combatendo a ressaca;
  7. Intercalar um copo de água entre cada bebida alcoólica e beber água antes de ir dormir, e ao acordar tomar uma xícara de café bem forte, sem açúcar.

Os alimentos que podem melhorar o mal-estar são a maçã, melão, pêssego, uva, tangerina, limão, pepino, tomate, alho, cebola e gengibre.

FONTE: Tua Saúde