Cliente relata em rede social agressões de dono de restaurante contra morador de rua: ‘Crime foi pedir comida’

 

Um morador de rua foi agredido próximo ao Campania Ristorante, no Centro de Curitiba, no domingo (16).

Uma cliente que estava no local presenciou as agressões e relatou o ocorrido no Facebook.

De acordo com o relato dela, o dono do restaurante “imobilizou um morador de rua e chutou-o” porque ele pediu um prato de comida.

A cliente, que preferiu não falar mais sobre o caso, afirmou à RPC que pretende ir à polícia nesta segunda-feira (18) para registrar um Boletim de Ocorrência (B.O).

Rafael Strujak, proprietário do Campania Ristorante, confirmou que agrediu o homem e disse que o fez porque não aguentava mais o incômodo causado por ele.

Ele relatou que, há mais de um ano, o homem invade o restaurante e faz ameaças contra ele e os clientes. Contou, ainda, que, das outras vezes, não adiantou chamar a polícia.

“A hora que eu vi saírem seis pessoas porque ele entrou agredindo os clientes com palavras, fui lá e peguei o meu material”, contou.

Strujak falou que o morador de rua tentou fugir, mas que ele foi atrás.

Eu tinha um spray de gengibre e álcool e um choquinho. Aí, ele começou a correr e eu fui atrás. Falei: ‘Agora, você vai correr mais. Chega'”, relatou.

Strujak, por fim, negou que o homem tenha entrado no restaurante para pedir um prato de comida.

Em nota, a Polícia Militar (PM) afirmou que tem buscado soluções para minimizar casos que tragam problemas de crimes ou delitos à população.

“A PM lembra que só pode encaminhar o morador de rua caso ele esteja cometendo algum crime ou delito e seja flagrado por uma equipe policial ou denunciado com representação”, explicou.

Já a Associação Brasileira de Bares e Casas Noturnas (Abrabar) reclamou, em nota, que os “paladinos só reclamam das reações aos agressores e sequer querem saber porque as vítimas reagiram”.

A associação cobrou também um plano de ação dos órgãos responsáveis contra o “achaque, chantagem e até mesmo terror psicológico” que os estabelecimentos estão sofrendo.

Fonte:  G1