Ciclista leva cachorrinha em viagem de 300 km de bike para não deixá-la sozinha nas férias

27/12/2018 às 08:36.

O almoxarife Osmar Daniel Ramirez Veiga, que é apaixonado por ciclismo, resolveu ir de bike visitar a família em Bela Vista (MS), a 300km de Campo Grande, mas não poderia deixar sua cachorrinha sozinha: “Por mais que a gente deixe alguém para alimentar e cuidar dos animais quando viaja, tem fogos no final de ano, e eles sofrem sozinhos, então resolvi levá-la comigo”, conta.

Cachorrinha teve caixinha adaptada para viajar na bike. — Foto: Arquivo pessoal

Cachorrinha teve caixinha adaptada para viajar na bike. — Foto: Arquivo pessoal

A cachorrinha vira-latas foi encontrada há 1 mês, em frente ao local em que Osmar trabalha, e ele resolveu adotá-la. Como a viagem já estava planejada, ele adaptou a caixinha de transporte dela – que ganhou o nome de Sabrina – com papelão embaixo da cobertinha, instalou-a na frente da bike e planejou o transporte da companheira: “Coloquei refletores e capa de chuva para protegê-la, e a cada 30 km eu parava para descer ela da caixinha, para esticar as patas”.

Ciclista parava a cada 30km para a cachorrinha esticar as patas. — Foto: Arquivo pessoal

Ciclista parava a cada 30km para a cachorrinha esticar as patas. — Foto: Arquivo pessoal

Osmar conta que Sabrina gostou da viagem: “Ela curtiu muito! Veio tranquila, fomos parando, ela brincava um pouco e quando seguíamos, ela dormia ou ficava ali, aproveitando o passeio”. O trajeto, que deveria ter sido até Bela Vista, acabou sendo interrompido no finalzinho, por conta da chuva.

“Saímos no domingo às 3h e a ideia era chegar a Bela Vista até o fim do dia, em torno de 19h. Quando chegamos a Nioaque, a chuva ficou forte, então minha mãe veio nos buscar de carro, mas viajamos juntos de qualquer forma até lá”, diverte-se. A viagem durou cerca de 15 horas.

Na casa da mãe de Osmar, em Bela Vista, tem bastante espaço e outros cães para Sabrina brincar: “Como moro em apartamento e fico muito tempo fora, se ela gostar do lugar, poderá ficar. Mas se quiser voltar comigo, o lugarzinho dela está garantido”, brinca.

Osmar conta que quis mostrar que uma viagem não pode ser motivo para abandonar os pets: “Todo ano nessa época vejo várias pessoas abandonando seus cães e gatos para viajar no fim de ano, de férias, arrumando mil desculpas que não tem como levar ou deixar com alguém cuidando. Sempre tem um jeito de cuidar deles como merecem, o que não pode é abandonar, jamais”.

A cachorrinha Sabrina, companheira do ciclista Osmar.  — Foto: Arquivo pessoal

A cachorrinha Sabrina, companheira do ciclista Osmar. — Foto: Arquivo pessoal