Casal é preso suspeito de gastar R$ 5 mil na web com cartão de desconhecida, mas atribui compras ao filho de 11 anos

02/06/2017 às 19:36.

Um casal foi preso em Goiânia suspeito de adquirir ao menos R$ 5 mil em mercadorias pela internet usando o cartão de crédito de um desconhecido. No entanto, o pastor, de 35 anos, e a esposa dele, uma dona de casa, de 29, alegam que as compras foram feitas pelo filho, de 11 anos. Segundo eles, a criança encontrou o documento no hidrômetro da casa da família e agiu sem que eles soubessem. A polícia não acredita na versão.

As prisões ocorreram na quinta-feira (1º), no Residencial Center Ville. De acordo com a delegada Mayana Rezende, chefe do Grupo de Repressão a Estelionato e outras Fraudes (Gref), as compras foram realizadas nos dias 19 e 20 de maio. Entre os itens adquiridos, estão uma bicicleta, um tablet e um celular, além de eletrodomésticos e calçados.

A delegada explicou que o cartão pertence a uma mulher, de 54 anos, que procurou a delegacia assim que analisou sua fatura. “Ela não sabe dizer se o cartão foi subtraído ou se ela perdeu. O fato é que quando foi verificar sua fatura, percebeu que várias comprar não autorizadas por ela tinham sido feitas”, disse Mayana.

A polícia conseguiu, então, identificar algumas das aquisições feitas e obteve código de rastreamento do último pedido feito. Com isso, conseguiram saber o dia e horário aproximado em que a mercadoria chegaria e prendeu o casal em flagrante.

Na residência, também foi encontrada uma arma, que pertence ao pastor. Ele tem o registro do armamento, porém, o documento está vencido.

Versão do casal

Segundo a polícia, o casal afirma que não sabia que o menino estava fazendo as compras. Todavia, eles não souberam explicaros motivos de não procurar a polícia ao receber produtos que não tinham adquirido e ainda ter usufruído deles.

A responsável pela investigação contesta a versão. Ela até acredita que o garoto achou cartão, mas que comprou com a autorização ou participação dos pais.

“As compras foram realizadas com o email do pai e o CPF do casal. Além disso, eles receberam as compras na residência. Eles não reprimiram a criança, não devolveram, utilizaram os produtos, não procuraram saber quem era o titular do cartão, não procuraram a delegacia e não tomaram nenhuma medida no sentido de devolver esses produtos”, pontua.

Além disso, a polícia descobriu que uma das compras tratava-se de um pacote de hospedagem para toda a família – o casal tem mais dois filhos – em Ilhéus (BA). O hotel teria ligado para confirmar a reserva e a dona de casa confirmou e alegou que o cartão usado seria de sua sogra.

O casal deve ser indiciado por estelionato e corrupção de menor. O homem também responderá por porte irregular de arma de fogo. Ele está detido na Central de Flagrantes e a mulher no 14º DP de Goiânia.

Já o menino está sob os cuidados de um tio.

Via:g1.globo.com