Casal adota bebê com deficiência abandonada em hospital

12/03/2020 às 09:17.

Quando tinha apenas quatro meses de idade, Safe foi abandonada pelos pais biológicos em um hospital.

Grace, que participa de um programa governamental de adoção de crianças, recebeu o convite para adotá-la e levá-la para casa. “Oi, Grace. Uma garotinha foi abandonada. Precisamos colocá-la em um lar adotivo. Você pode buscá-la em uma hora?”, dizia a ligação.

Ela e o marido, Jesse, já eram pais de 8 filhos adotivos quando foram ao hospital buscar Safe. “Não pensamos duas vezes”, diz Grace.

Casal adota bebê com deficiência abandonada em hospital

“Quarenta e cinco minutos depois, a princesinha paquistanesa mais perfeita do mundo foi colocada em nossos braços”, relembrou a mãe adotiva ao site Love What Matters.

Safe tinha um sobrenome peculiar: Surrender (“Renda-se”, em tradução livre). Em seu novo lar, passou a ser chamada de ‘Little Safe’ pela vizinhança, que a acolheu carinhosamente.

A pequena continuou sob observação médica e precisava fazer uma série de exames no hospital onde nasceu. Entre uma consulta e outra, constatou-se uma série de problemas congênitos.

Safe precisou passar por algumas cirurgias e conviveu com uma bolsa de colostomia por meses.

“Grace, ela tem necessidades médicas bem extensas. Acha que podem lidar com isso? Podemos movê-la para outra casa”, ofereceu a assistente social. Mas o casal jamais pensou em desistir. “Vimos ela se curar e a começar a confiar em nós. Simplesmente a amamos e ela floresceu”, afirma a mãe. Safe enfrentou sua última cirurgia quando tinha 10 meses.

Prestes a fazer um ano, em março de 2018, Safe estava recuperada e pronta para a cerimônia oficial de adoção. Certo dia, o telefone de Grace voltou a tocar: “Parabéns! Conseguimos uma data em março para a cerimônia de adoção. Convide quem você quiser e vários assistentes sociais estarão presentes. Eles querem ver esse caso até o fim”, dizia.

Casal adota bebê com deficiência abandonada em hospital

Em 14 de marco de 2018, Jesse e Grace adotaram oficialmente Safe, frente a um tribunal com mais de 70 convidados – entre familiares, amigos e assistentes sociais.

“Olhei e vi uma garotinha cujo nome contou a história do seu nascimento. Uma garotinha que tinha perdido tanto, mas que ganharia muito mais”, contou Grace.

Os pais adotivos da pequena lhe deram um novo nome: Arya Hope (“Esperança”, em inglês).

Via: Razões Para Acreditar