Ao Vivo

Carregador de celular pode ter provocado a morte de morador de Colombo, na RMC

22/06/2021 às 08:24.

Carregador de celular. Foto: Pixabay / imagem ilustrativa.

O celular carregando na tomada pode ter sido a causa da morte de Márcio Sanches, 42 anos, pessoa com deficiência física que morava em Colombo, na região metropolitana de Curitiba. Na manhã do último domingo (20), no bairro São Dimas, ele foi encontrado sem vida por um vizinho. Segundo informações não oficiais, o homem estaria com o aparelho telefônico junto ao corpo, no quarto da casa dele, e a parede da tomada onde o equipamento era carregado teria manchas escuras de queimado. A vítima morava sozinha.

A equipe do Corpo de Bombeiros que prestou atendimento no local não confirmou a causa da morte, que será investigada pela Polícia Civil. O corpo de Marcio Sanches foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML), onde o motivo real do falecimento será investigado.

No local, a família de Márcio Sanches lamentou o ocorrido e o vizinho que o encontrou apontou que havia sinal de fumaça na casa, vindo do quarto. Sanches tinha dificuldades de locomoção. Ele teve uma perna amputada há cerca de oito anos, após um acidente de trânsito. Os bombeiros alertam que, embora pouco comum, o risco de choque elétrico ao usar o telefone celular existe, principalmente se o equipamento estiver sendo carregado na tomada durante o uso.

Esse não é o primeiro relato de acidentes relacionados ao carregamento de celulares e descarga elétrica no Brasil. Em fevereiro de 2018, por exemplo, a Gazeta do Povo noticiou que o aparelho ligado à tomada causou a morte de uma adolescente de 17 anos, na cidade de Riacho Frio, sul do Piauí. Houve também, no fim de 2017, o caso de um bebê que sofreu queimaduras graves na boca depois de colocar o fio do carregador de celular na boca, enquanto o dispositivo estava conectado à tomada. E, em 2016, uma mulher acordou com queimaduras no braço depois de dormir com o celular na mão.

Cuidados ao manusear o celular

A tenente dos Bombeiros de Curitiba, Ana Paula Bagge, informou que os cuidados adequados com o manuseio do celular podem evitar acidentes semelhantes ao ocorrido em Colombo. “Não é muito comum, mas esses acidentes acontecem, desde o princípio de pequenos incêndios até uma explosão. Então, a primeira orientação é que a pessoa desligue o aparelho na hora de carregar e evite utilizá-lo. Isso vai inibir um superaquecimento que pode causar explosão ou incêndio”, explica a tenente.

Outras dicas da Ana Paula são para que a pessoa fique atenta para não usar o fone de ouvido no celular enquanto ele estiver na tomada, não abafar o equipamento quando o carregador estiver conectado, evitar umidade ou respingos de água no celular. “Coloque em uma mesinha, não deixe debaixo do travesseiro, por exemplo. E não leve para carregar no banheiro, durante o banho, pois o local fica úmido”, recomenda.

Mais um ponto mencionado pela tenente foi sobre os adaptadores. “As pessoas conhecem por Benjamin ou ‘T’. Evitem sempre colocar vários aparelhos eletrônicos ligados ao mesmo tempo, pois o adaptador se tornará um ponto de aquecimento”, destaca a Ana Paula.

Por último, a tenente explica que o carregador nunca pode ser retirado da tomada pelo fio e que ele deve ser um equipamento homologado. “Nunca puxe pelo cabo. Isso pode romper o fio e, depois, pode causar algum outro incidente. Usar carregadores originais e homologados também é fundamental. Evite os carregadores piratas”, finaliza a Ana Paula.

Via: Tribuna Do Paraná