Café doa livros para crianças que levam garrafas plásticas e latinhas para reciclar

25/02/2019 às 15:55.

Em um único dia, o livreiro Michele Gentile chegou a doar 60 livros

Crianças de escola de Salerno participam da coleta de material reciclável (Foto: Reprodução)

Já imaginou poder incentivar ao mesmo tempo a leitura e a consciência ambiental entre as crianças? É o que tem feito um livreiro de Polla, província de Salerno, no sul da Itália, que decidiu doar um livro para cada criança que levasse uma garrafa de plástico e uma latinha de alumínio para reciclar.

“Meu objetivo é espalhar a paixão e o amor por livros entre as pessoas da Itália que geralmente não têm o hábito de ler e, ao mesmo tempo, ajudar o meio ambiente”, contou o livreiro Michele Gentile ao canal norte-americano CNN.

A ideia surgiu de um outro conceito que o próprio livreiro havia inventado: o de “livros suspensos” — inspirado no costume napolitano do café suspenso. Na Itália, desde a Segunda Guerra Mundial, é comum que as pessoas paguem uma xícara de café para si mesmas e, além disso, também deixem pago uma dose para quem precisa revigorar os ânimos, mas não tem dinheiro para arcar com o cafézinho.

Assim, Gentile instituiu na sua cafeteria, onde também vende livros, o hábito do livro suspenso, que permite que os clientes comprem uma obra para si e deixem uma outra paga para quem quiser a companhia de uma boa leitura. “Eu espero que a iniciativa se torne tão viral que afete o país inteiro”, disse o livreiro, que já recebeu dúzias de materiais recicláveis de uma escola da Bordighera, no norte do país. “Será revolucionário não só para o planeta, mas para a educação das crianças”, acredita.

Já o apelo ecológico da iniciativa surgiu a partir de uma pilha gigantesca de metais jogados em um campo que foram encontrados por Gentile. O livreiro descobriu que toda aquela sucata valia entre 300 e 400 euros (entre R$ 1.250 e R$ 1.700), o bastante para bancar uma “mesada” de livros para crianças do ensino fundamental II por um ano. “Então, conversei com uma escola local e eles organizaram uma coleta de alumínio”, conta Gentile. “Os resultados foram extraordinários, cerca de R$ 2.100 em dois dias.”

Com o dinheiro que ele arrecadou com a reciclagem, Gentile comprou livros para uma sala inteira. Foi então que o livreiro pensou: “Por que não doar livros para crianças que me trouxessem garrafas plásticas e latinhas de alumínio?” Assim Gentile uniu seu conceito de livro suspenso com o cuidado com o meio ambiente.

De acordo com o livreiro, ele chegou a doar 60 livros em um único dia. “Imagine se isso se transformar em um pequeno jogo: todas as crianças do mundo trocam uma garrafa de plástico e uma lata por livros. Eu sei que é apenas um sonho, mas por que não fazer isso?”

Via: Revista Crescer