Cachorro de rua morre após ser agredido por segurança de supermercado

05/12/2018 às 08:20. Comente esta notícia!

A morte de um cachorro de rua em uma loja da rede de supermercados Carrefour em Osasco, São Paulo, está causando uma grande revolta nas redes sociais pelo Brasil inteiro. Segundo ativistas dos animais, o cão teria sido envenenado e espancado por um funcionário da rede na última sexta-feira (30).

Segundo os protetores, o segurança matou o cão após ele supostamente receber uma ordem para retirar o animal do local, que seria visitado por supervisores. “Ele deu chumbinho no meio de mortadela e ainda bateu no cachorro”, disse um representante da Ong Cão Leal em entrevista ao G1 São Paulo.

Segundo a prefeitura da cidade, o cão chegou a ser resgatado com ferimentos e sangrando, versão que foi contestada pela Ong, que afirmou que o cachorro foi socorrido por quem estava no local. Ele chegou a ser levado para uma clínica, mas morreu.

O que diz o supermercado?

Em nota, a rede informou que o Centro de Zoonoses foi acionado, mas não fez a retirada do cão. Confira a nota na íntegra. “Nossa apuração preliminar apontou que o cachorro estava circulando pelo estacionamento havia alguns dias. O Centro de Zoonoses de Osasco foi acionado por diversas vezes, mas não recolheu o animal. No dia do incidente, clientes se queixaram sobre a presença do cachorro, e, novamente, o órgão foi acionado. Um funcionário de empresa terceirizada tentou afastá-lo da entrada da loja e imagens mostram que esta abordagem pode ter ocasionado um ferimento na pata do animal. O Centro de Zoonoses de Osasco foi acionado novamente e compareceu ao local para recolhê-lo. No entanto, no momento da abordagem dos profissionais do órgão para imobilização, o cachorro desfaleceu em razão do uso de um ‘enforcador’, tipo de equipamento de contenção. A delegacia especializada de Osasco (D.I.I.C.M.A.) abriu inquérito e está investigando o caso. Estamos colaborando com as autoridades, disponibilizamos todas as informações e imagens para que o fato seja solucionado.”

Maus tratos

Dias após o ocorrido, a Defesa Animal Estadual esteve no hipermercado para a elaboração um boletim de ocorrência. Pelo Facebook, a Defesa informou que a polícia civil já está tomando providências, instaurando inquérito para investigar o caso e identificar o autor do crime. A pena para quem comete maus tratos contra animais é de três meses a um ano de prisão e multa. Em caso de morte, segundo a Defesa, a punição pode ser aumentada em até um terço.

Via: Tribuna do Paraná