Brumadinho: corpo de arquiteto, que esperava primeiro filho, é encontrado. “A Vale matou meu filho”, diz padrasto

01/02/2019 às 09:08.

Familiares reconheceram hoje o corpo do arquiteto Luiz Taliberti, 31. A noiva dele, grávida de 5 meses, continua desaparecida. O padrasto de Luiz fez um post nas redes sociais responsabilizando a empresa pela morte

O corpo do arquiteto Luiz Taliberti, 31, foi encontrado nesta quarta-feira (30) (Foto: Reprodução Facebook)

A noiva dele, Fernanda Darmian, 30, grávida de 5 meses, a irmã Camila Taliberti, 33, o pai, o empresário Adriano Ribeiro da Silva, 61, e a madrasta Maria Lurdes da Costa Bueno, 59, que estavam com Luiz, continuam desaparecidos. O arquiteto e a noiva estavam esperando o primeiro filho, que se chamaria Lorenzo.

Fernanda, 31,  grávida de cinco meses (Foto: Arquivo pessoal)

O casal morava em Sydney, na Austrália, e tinham acabado de chegar ao Brasil, de férias. “O que nos conforta é que estavam realizando o sonho de ter uma família amada e com muito amor”, disse uma amiga do casal.

Os bombeiros acreditam que pelo menos 35 pessoas estavam no local. Pelas redes sociais, Vagner Diniz, o padrastro de Luiz, fez um post responsabilizando a Vale pela morte do enteado. Segundo ele, as sirenes — que deveriam avisar sobre o perigo de rompimento — não tocaram, tirando as chances das vítimas conseguirem se salvar.

Em suas redes sociais, Vagner Diniz escreveu:

“A Vale matou meu filho. Há quatro horas fomos avisados que encontraram o seu corpo. Ele ia ser pai do meu primeiro neto. Estava radiante com o Lorenzo. Ele me chamava de Godo ou Godinho por causa do meu porte quase atlético. 31 anos de doçura e amor a natureza. Escolheu a Austrália para uma carreira de arquiteto de sucesso.

Mas, a sirene não tocou. A gerente da pousada nos contou que todos estavam muito preparados para emergência e rotas de fuga. Em cinco minutos todos estariam seguros. Mas a sirene não tocou. 

Como a sirene, estamos em um silêncio de dor. 

‘Ainda que eu ande pela Vale da morte, temerei todos os males’

Luiz, você é minha vida para sempre.”

Na foto, Luiz com a madrasta, o pai e a irmã, que continuam desaparecidos (Foto: Reprodução Facebook)

Até o momento, a Defesa Civil confirmou a morte de 84 pessoas. Pelo menos, 276 estão desaparecidas.