Brasil vai começar a emitir vistos eletrônicos em até 3 dias a partir de novembro

29/09/2017 às 14:17.
Foto: Visual Hunt
Foto: Visual Hunt

Os australianos com planos de vir ao Brasil serão os primeiros beneficiados pelo sistema de vistos eletrônicos que o país começa a implementar.

Com o sistema, turistas não precisarão mais ir até os Visa Centers brasileiros para conseguir o documento. A concessão deverá sair em até 72 horas depois da solicitação do turista, tanto para viagens de lazer quanto de trabalho.

Os vistos eletrônicos começam a funcionar na Austrália em 21 de novembro. Em janeiro, o sistema também começa a valer no Canadá (dia 8), Estados Unidos (15) e Japão (22).

A emissão eletrônica é uma das medidas do Brasil para diminuir a burocracia de vistos. No atual sistema, os turistas são obrigados a gastar tempo e dinheiro para irem até os Visa Centers e consulados brasileiros de seus países para solicitar o visto de entrada no Brasil.

A facilitação visa estimular o turismo, seguindo recomendações da Organização Mundial do Turismo (OMT), que associa este tipo de política com o crescimento econômico do setor em vários países.

A expectativa do Ministério do Turismo (MTur) é que a diminuição da burocracia de vistos aumente a entrada de estrangeiros no Brasil em até 25%, conforme dados da OMT.

China

Nesta mesma linha, Brasil e a China assinaram um acordo de facilitação de vistos para visitantes dos dois países no começo de setembro. O acordo aumenta o prazo de validade dos vistos de três meses para cinco anos e determina que os serviços consulares devem emitir a  permissão em até cinco dias úteis.

Para atender à nova demanda, o número de Visa Centers brasileiros na China será aumentado de três para 12.

Visa Centers

De acordo com o MTur, os Visa Centers reduzem, em média, de 45 para 5 dias o prazo para a concessão dos documentos. Um destes centros foi instalado este mês em Angola, país responsável por 50% dos vistos emitidos pelo Brasil para turistas da África. Países do sudeste asiático deverão contar com o mesmo sistema.

Fonte: Gazeta do Povo