Bozo, Dengue e Fofão: a verdadeira história dos personagens que marcaram os anos 80

05/09/2017 às 08:49.

Quem eram e como estão as pessoas que interpretaram os personagens que animaram as manhãs e tardes de muitas crianças nos anos 1980 e 1990

Foto: DivulgaçãoFoto: Divulgação

“Alô criançada, o Bozo chegou, trazendo alegria pra você e o vovô”! Essa música embalou as manhãs e tardes de muitas crianças nas décadas de 1980 e 1990. Junto com o palhaço, cujo nome “completo” era Bozo Bozoca Nariz de Pipoca, também fizeram sucesso personagens como a Vovô Mafalda, o Papai Papudo (os dois do programa do palhaço), Fofão (originalmente do programa Balão Mágico) e Dengue e Praga (do Xou da Xuxa).

Eles estão voltando à tona por causa do lançamento do filme “Bingo, o Rei das Manhãs”, uma biografia inspirada livremente na vida do ator Arlindo Barreto, um dos atores que interpretava o Bozo (eles foram mais de dez).

Esses clássicos infantis da TV brasileira, que enriqueceram a década de 80, tinham algo em comum: eram atores vestidos de personagem. Muitos não eram reconhecidos sem a fantasia. É o caso do primeiro Bozo do Brasil, o Wandeko Pipoca. “Fazíamos questão de manter o anonimato. Poucas pessoas sabiam. A minha família e alguns jornalistas apenas”, contou ele ao Viver Bem.

Afinal, quem eram essas pessoas e como estão hoje? Você vai se surpreender. Confira 10 curiosidades:

Wandeko, o primeiro Bozo. Foto: ReproduçãoWandeko, o primeiro Bozo. Foto: Reprodução

1. Da estreia, em 1980, até 1982, apenas um ator dava vida ao Bozo: Wandeko Pipoca. Ele foi escolhido pelo próprio Larry Harmon, o dono da franquia norte-americana que detinha os direitos do Bozo.

2. Com o sucesso, a presença do palhaço era necessária em várias ocasiões. Sendo assim, vários atores interpretaram o Bozo. Alguns dos mais famosos foram Luís Ricardo (que substitui atualmente o próprio Silvio Santos em alguns programas) e Charles Myara (que hoje interpreta o mago Theobaldo na série infantil “Detetives do Prédio Azul”).

Bozo

Charles Myara como o Bozo. Foto: Reprodução

3. O ator que inspirou o filme “Bingo, o Rei das Manhãs” foi Arlindo Barreto. Ele fez o palhaço de 1984 a 1986. Na época, viciou-se em drogas. Anos depois, transformou-se em pastor da Igreja Batista. Em 2012 chegou a voltar ao SBT para trabalhar com os palhaços Patati Patatá.

4. Bozo dividia o palco com outros personagens, como Pedro de Lara (o Salci Fufu), Valentino Guzzi (a Vovó Mafalda) e Gibe (Papai Papudo).

5. Pedro de Lara foi um dos jurados do programa “Buzina do Chacrinha” e depois do “Show de Calouros”, onde conquistou muito sucesso com seu mau-humor. Faleceu em 2007.

6. Com a última exibição do programa do Bozo, em 1991, a Vovó Mafalda passou a ganhar mais espaço. Ela apresentou vários programas, como “Dó Ré Mi com Vovó Mafalda” e “Sessão Desenhos da Vovó”, sua última aparição, em 1998. Valentino Guzzo, o intérprete da Vovó, faleceu em 1998.

Relembre a Vovó Mafalda e Papai Papudo:

7. O Papai Papudo era Gibe, o ator Gilberto Fernandes. Depois da década de 80 trabalhou nas pegadinhas no programa “Topa Tudo por Dinheiro”, de Silvio Santos, e foi redator do programa “Os Trapalhões”. Faleceu em 2010.

8. Outro personagem que as crianças adoravam era Fofão, interpretado pelo ator Orival Pessini. Ele era um extraterrestre do planeta Fofolândia. Depois de participar do programa “Balão Mágico” (na TV Globo), ganhou o seu próprio (na Bandeirantes). Teve inúmeros produtos licenciados, como o boneco Fofão, que estima-se tenha vendido mais de 4 milhões de unidades.

Foto: Wikimedia Commons

Foto: Wikimedia Commons

9. Uma dupla que acompanhou o sucesso do “Xou da Xuxa” foram Dengue (Roberto Bettini) e Praga (Armando Moraes). Numa época que a dengue nem era uma doença conhecida, o Dengue era um mosquito grande, cheio de braços e vestido de amarelo e vermelho. Já o Praga se vestia de tartaruga e era anão.

“Ilariê”, com Dengue e Praga (eles aparecem ao final do vídeo):

10. Roberto Bettini, que trabalhou como Dengue por nove anos, mora em Rondônia com a família e trabalha como produtor artístico. Armando Moraes foi o Praga de 1986 a 1989, quando se afastou por conta de uma meningite, voltando em 1991. Faleceu em 2004.

Entrevista: O Bozo que hoje é pastor

Wanderley Tribeck: ex-Bozo e pastor. Foto: Reprodução

Wanderley Tribeck como pastor: “palmas por almas”. Foto: Reprodução

Trocou as palmas por almas. É com essa frase que o primeiro Bozo do Brasil faz seu trabalho de divulgação como pastor evangélico, função que exerce há quatro anos.

Wanderley Tribeck era o Wandeko Pipoca e foi o palhaço de 1980 a 1982. Wandeko lembra da época com saudade. “Ser o Bozo foi maravilhoso. Em amava. Fui dedicado a ele”, conta. Sobre o filme “Bingo, o Rei das Manhãs”, ele prefere não comentar.

Ele conversou com o o Viver Bem. Veja os principais trechos da entrevista:

Como era sua agenda na época que o sr. interpretou o Bozo?

Trabalhava com amigos, com Pedro de Lara (que interpretava o Salci Fufu), com Valentino Guzzo (que fazia a Vovó Mafalda). Fazíamos shows, gravávamos comerciais, decorávamos textos, muitos textos. De manhã, o programa era ao vivo e reprisava à tarde.

Na época, você era pai? Como era conciliar essas funções: de palhaço e pai?

Sim. Eu tenho um filho de 44 anos. Ele sabia que eu era o Bozo e até participava. Minha filha nasceu no auge do Bozo, em 1982, e eu tenho uma história interessante. Eu saí do hospital (onde ela nasceu) maquiado e fui dirigindo para gravar o programa.

Depois que deixou a televisão, você teve um bar em Balneário Camboriú (o Ex-Petinho do Wandeco), não?

Sim. Por 12 anos. E muitos coxas e atleticanos assistiam aos jogos lá. Mas, larguei tudo para servir a Deus.

Você acha que ter sido o Bozo acabou lhe ajudando a atual como pastor?

Hoje recebo pessoas que na época do Bozo eram minhas fãs. Não tenho nem palavras para agradecer aquele período. Estou há 30 anos fora do ar e ainda sou querido. É maravilhoso.

Via: Gazeta Do Povo