Benzedeiras de Curitiba promovem cura e alívio de doenças pela fé |

26/12/2018 às 08:19.

O quartinho é pequeno, não chega a 1m². Sem janelas, só há espaço para duas pessoas. Na parede esquerda, gravuras e quadrinhos coloridos. Na direita, prateleiras pelas quais os olhos de Nossa Senhora Aparecida, São Sebastião e Nossa Senhora de Fátima assistem, plácidos, o trabalho de Roseli Leocadia Rocha, 72, ou “Tia Rose”, como é mais conhecida. Pela boca da vovozinha, a intercessão junto aos santos parece funcionar. É cura pra asma, “peito aberto”, minguá, “rasgadura” e até verme. Precisou? É só chegar.

Foto: Felipe Rosa/Tribuna do Paraná.

Quem já foi garante: o negócio funciona. Sem cobrar nada pelo “serviço”, a idosa faz parte de um grupo seleto, que pelo imaginário popular quase chega a ser mágico: as “benzedeiras de Curitiba” que, de geração em geração, promovem cura e alívio de doenças mediante uma só virtude: a fé.

Confira a matéria completa: Tribuna do Paraná