Ao Vivo

Bairros de Curitiba podem ficar sem telefone e internet

06/10/2017 às 08:14.

O trabalho é feito pela Copel, que é proprietária e dos postes e responsável pela fiscalização das instalações em Curitiba

Foto: Átila Alberti.

Cabos de telefonia e dados serão regularizados ou retirados a partir desta quarta-feira (4), nos bairros Cajuru, Pilarzinho e Uberaba, o que pode afetar o serviço de telefonia e internet nas três localidades de Curitiba. O trabalho é feito pela Copel, que é proprietária e dos postes e responsável pela fiscalização das instalações em Curitiba. Esse é o primeiro serviço de regularização de cabos em outubro, mês que tem programado mais três operações similares, nos bairros Portão, nos dias 11 e 18, e Santa Cândida, dia 25.

Nesta primeira etapa, o serviço ocorre em três vias; na Rua Nilo Peçanha com a Rua José Fiori, no Pilarzinho, na Rua Assis de Brito, entre as ruas Luiz Lara Fernandes da Penha e Marcelo dos Reis Domingues Bento, no Cajuru, e na Rua Jaboticabas, entre as ruas Capitão Leônidas Marques e Guaraná, no Uberaba. O serviço vem sendo executado desde o começo do ano, e já foram 27 operações desde janeiro. Em junho, a retirada de cabos clandestinos no Centro chegou a causar problemas com os serviços.

Segundo informações da empresa de energia, as companhias de telecomunicação que têm cabos instalados de maneira regular foram notificadas com antecedência, para que adequassem o cabeamento, caso ainda tivessem quaisquer problemas. Ainda assim, elas podem acompanhar o serviço da Copel enquanto está sendo executado e colocar em ordem possíveis problemas encontrados no momento da ação.

Serviço interrompido

De acordo com o gerente de projetos e obras de Curitiba da Copel, Gláucio Martinez Lopes, algumas residências devem ter seus serviços de comunicação interrompidos, já que nem todas as companhias têm instalações regulares e dentro das normas impostas pela Copel. “A gente comunica as empresas que têm autorização, mas as que colocam cabos de maneira clandestinas não são notificadas. Quando retira os cabos, afeta o serviço”, sentenciou.

No caso de cabeamento em desconformidade com as orientações de instalação e organização, correções pontuais serão permitidas às empresas, sem que seja feita a retirada. Já nos casos em que forem constatadas irregularidades, ou potencial perigo, os cabos serão cortados, interrompendo a telefonia e a transferência de dados.

Quem tiver problemas com a telefonia ou a internet após a realização do serviço deve procurar a empresa que fornece o serviço, já que são elas as responsáveis pelo atendimento aos clientes, segundo a Copel.

Sete de Setembro

Outro local que vai ganhar um serviço de manutenção de postes e cabos em outubro é a Avenida Sete de Setembro. No trecho entre as ruas Ângelo Sampaio e Bento Viana, no Centro, os postes serão substituídos por outros mais altos. De acordo com a Copel, a demanda é antiga dos moradores das áreas em que tem canaletas para o biarticulado. Em abril, um ônibus enroscou em um cabo e paralisou a Sete de Setembro em horário de pico, causando um engarrafamento de biarticulados.

O gerente de projetos da empresa revela que este será o começo de um processo que irá padronizar todos os postes da via, ao longo de 2017 e 2018. A obra está sendo custeada por quatro empresas de telefonia que usam os postes da avenida. O valor do investimento não foi revelado pela Copel.

Via: Tribuna do Paraná