Ao Vivo

Aulas da rede estadual de ensino do Paraná voltam gradualmente em modelo híbrido a partir de segunda-feira (10), diz Ratinho Junior

05/05/2021 às 04:57.

O governador do Paraná, Ratinho Junior (PSD), afirmou nesta terça-feira (4) que as aulas da rede estadual de ensino vão voltar em modelo híbrido a partir de segunda-feira (10).

Segundo o governo, o retorno vai acontecer, inicialmente, em cidades que já voltaram com as atividades presenciais e com o transporte escolar.

De acordo com a Secretaria Estadual da Educação, a volta na segunda-feira (10) acontece em cerca de 200 escolas que se voluntariaram para o retorno das atividades. A lista das escolas não foi divulgada.

De acordo com Ratinho Junior, são escolas de regiões de maior vulnerabilidade social e dificuldade de acesso a internet para o acompanhamento das aulas online.

Além disso, foram escolhidas áreas em que as taxas de transmissão do coronavírus estão em queda e instituições em que há menor proporção de professores do grupo de risco.

“Nós estamos vendo uma pressão psicológica na cabeça destes jovens por estarem distantes das escolas por um ano e meio praticamente”, afirmou o governador.

Mais de um milhão de alunos da rede estadual estão sem aulas presenciais desde março do ano passado. O retorno dos alunos à sala de aula chegou a ser adiado quatro vezes.

Ratinho Junior (PSD) anunciou, nesta terça-feira (4), o retorno a partir do dia 10 de maio. — Foto: Reprodução/Youtube
Ratinho Junior (PSD) anunciou, nesta terça-feira (4), o retorno a partir do dia 10 de maio. — Foto: Reprodução/Youtube

Segundo Ratinho Junior, o plano de retorno se baseia em um estudo feito em 21 países que aponta que as aulas não são “um grande problema” para a transmissão do vírus.

“A medida que for dando certo este retorno, a gente vai aumentar a quantidade de escolas ainda em meio e junho, aumentando gradualmente até chegar em todas as escolas”, afirmou o secretário estadual da Educação, Renato Feder.

Protocolos

O modelo híbrido prevê que parte das aulas aconteçam presencialmente e outra parte pela internet. Segundo o governo, as salas de aula onde o modelo hibrido for realizado estarão equipadas com acesso à internet e computador.

De acordo com a Secretaria Estadual da Saúde, também serão seguidos os seguintes protocolos:

  • Distanciamento de 1,5 metro entre os alunos;
  • Disponibilização de álcool em gel para estudantes e funcionários das escolas;
  • Uso obrigatório de máscara dentro do colégio;
  • Aferição de temperatura na entrada das escolas;
  • Termo de autorização assinado pelo responsável legal.

Segundo o secretário da Educação, Renato Feder, os alunos que não têm estrutura de internet para acompanhar as aulas pela internet de casa serão priorizados para as atividades presenciais.

Protocolo prevê distanciamento de 1,5m entre os alunos — Foto: Reprodução/RPC
Protocolo prevê distanciamento de 1,5m entre os alunos — Foto: Reprodução/RPC

Vacinação dos professores

De acordo com o governador, o retorno vai acontecer paralelamente com a vacinação contra a Covid-19 dos profissionais da educação do estado. Em março, o governador Ratinho Junior afirmou que as aulas só retomariam após a vacinação dos professores.

Segundo Ratinho Junior, 8 mil profissionais da educação que têm mais de 60 anos já foram imunizados, e o plano estadual prevê a vacinação de mais 32 mil profissionais de educação das redes estadual, municipal e privada com o lote de doses recebido na segunda-feira (3).

O Paraná, no entanto, tem mais de 169 mil trabalhadores em da área de educação nas redes municipais e estadual.

Os primeiros profissionais a receber a vacina devem ser da faixa etária de 55 a 59 anos.

Depois, a aplicação de vacinas dos lotes seguintes deve seguir uma divisão por idade, pelos profissionais mais velhos, e priorizando aqueles que estiverem trabalhando presencialmente.

32 mil profissionais devem ser vacinados com o imunizante de Oxford/Astrazeneca — Foto: Gilson Abreu/AEN/Divulgação
32 mil profissionais devem ser vacinados com o imunizante de Oxford/Astrazeneca — Foto: Gilson Abreu/AEN/Divulgação

Sindicato é contra o retorno neste momento

A APP-Sindicato, que representa professores e funcionários das escolas estaduais e também municipais de mais de 200 cidades do Paraná, não é favorável ao retorno presencial das aulas neste momento.

O sindicato afirmou que a promessa inicial do governo era de que a volta acontecesse somente após a vacinação dos profissionais.

De acordo com o sindicato, não há condições estruturais nas escolas para qualquer retorno e também faltam profissionais para o acompanhamento dos estudantes.

Via: G1 Paraná